05 de agosto de 2020 Atualizado 08:03

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Cinema em casa

Plataforma exibe filmes selecionados e premiados

As exibições são gratuitas, mas as obras permanecem em cartaz no site do Sesc São Paulo por tempo limitado

Por Isabella Holouka

23 jun 2020 às 09:56 • Última atualização 23 jun 2020 às 11:09

Os amantes da sétima arte podem contar com a nova plataforma gratuita de streaming de filmes do Sesc São Paulo, que promete quatro novidades por semana, sempre às quintas-feiras, no site sescsp.org.br/cinemaemcasa.

O acesso é gratuito, a qualquer hora do dia e não demanda cadastro. Entretanto, os filmes têm permanência temporária em cartaz. Eles se encaixam em quatro eixos.

“Jonas e o Circo Sem Lona” está em exibição – Foto: Divulgação

O primeiro é uma curadoria de clássicos, sendo a maioria cópias restauradas e exclusivas. Há ainda uma seleção contemporânea internacional, com filmes de trajetória relevante em festivais no mundo todo e filmes do cinema nacional, com obras independentes e com grande alcance de público. Além disso, há também uma seleção infanto-juvenil, visando a formação de público para a diversidade do cinema e de narrativas desde a infância.

Selecionamos alguns filmes que estão em cartaz:

PAULINHO DA VIOLA – MEU TEMPO É HOJE
Direção: Izabel Jaguaribe, Brasil, 2013, 83 min.
O documentário mostra seus mestres e amigos, suas influências musicais e percorre sua rotina discreta e muito peculiar, em suas atividades e hábitos desconhecidos do grande público. Há ainda encontros musicais memoráveis com Marina Lima, Elton Medeiros, Zeca Pagodinho, Marisa Monte e a Velha Guarda da Portela.

JONAS E O CIRCO SEM LONA
Direção: Paula Gomes, Brasil, 2015, 81 min.
O documentário acompanha Jonas, um garoto de 13 anos cujo sonho é manter vivo o circo que ele mesmo criou no quintal de casa, no bairro pobre onde vive, na Bahia. Ele é filho e neto de artistas de circo e pretende abandonar a escola para se juntar ao tio e viver em um circo itinerante, mas a mãe prefere que ele permaneça na escola. No meio desta briga, ele descobre as dificuldades da vida adulta.

MAMMA ROMA
Direção: Pier Paolo Pasolini, Itália, 1962, 116 min.
Mamma Roma é uma prostituta de meia-idade que sonha em mudar de classe social para poder voltar a viver com filho adolescente, Ettore.
O filme tem grande influência das artes plásticas, e é objeto de estudo para muitos pesquisadores do cinema. Seus planos e ângulos de filmagem são fortemente inspirados em afrescos de Giotto, Caravaggio e outros artistas.

A CARRUAGEM DE OURO
Direção: Jean Renoir, França/Itália, 1952, 94 min.
O clássico mostra a viagem de uma trupe italiana de commedia dell’arte para se apresentar em uma colônia espanhola da América Latina no século XVIII. Junto com a companhia teatral, chega da Europa uma carruagem de ouro encomendada pelo vice-rei, o que inicia uma série de eventos inusitados.

EU SOU INGRID BERGMAN
Direção: Stig Bjorkman, Suécia, 2015, 114 min.
Um documentário intimista sobre a vida de uma das mais premiadas atrizes da história do cinema, três vezes vencedora e oito vezes indicada ao Oscar, Ingrid Bergman. O filme apresenta um material inédito como entrevistas, cartas, diários e muitas imagens realizadas por Ingrid durante toda a sua vida.