Primeira guitarra de George Harrison vai a leilão

Ex-Beatles tinha 17 anos e com sua Futurama enfrentou as loucas excursões a Hamburgo, entre 1960 e 1961


Foto: Divulgação
Harrison pagou por ela 55 guinéus (55,75 libras na época), o que hoje corresponderia a 780 libras esterlinas ou cerca de U$ 1000.

George Harrison teve centenas de guitarras. Elétricas, acústicas, de todas as marcas e modelos. Mas uma delas é especial e, mesmo assim, está longe de ser um bom instrumento. Trata-se de uma Futurama Resonet, fabricada por uma certa empresa chamada Delicia, em Horovice, extinta Checoslováquia, e comprada por ele em novembro de 1958, na loja de Frank Hessy, em Liverpool.

Foi um investimento arriscado para um músico desconhecido, iniciante e sem garantias de uma carreira de sucesso. The Silver Beatles não passavam de uma promessa, se tanto. Pagou por ela 55 guinéus (55,75 libras na época), o que hoje corresponderia a 780 libras esterlinas ou cerca de U$ 1000. Foi sua primeira guitarra de corpo sólido. George tinha 17 anos e com sua Futurama enfrentou as loucas excursões a Hamburgo, entre 1960 e 1961.

Em 1964, já famoso, George não precisava mais da guitarra que tinha a ação muito alta (distância das cordas em relação ao braço), mas produzia um bom som. Era um tanto tosca, mas era também a guitarra que mais se assemelhava a uma Fender Stratocaster, instrumento de seus sonhos naquela época.

“Se eu tivesse condições, uma Fender Stratocaster teria sido minha primeira guitarra. Eu havia visto uma delas na capa do disco The Chirping Crickets, de Buddy Holly, e tentei de todas as formas encontrar uma em Liverpool.
Impossível naquela época, tanto pela raridade como pelo preço. A Futurama foi o que mais perto consegui de uma Strat. Era bem difícil tocar com ela. Mesmo assim, tinha uma aparência futurista”, disse Harrison a Andy Babiuk, autor do livro Beatles Gear, no qual descreve nos mínimos detalhes cada instrumento usado pela banda.

Nesse mesmo ano, George deu sua Futurama para Beat Instrumental Magazine. A intenção era oferecê-la como prêmio ao vencedor de uma competição musical. Ocorre que o tal vencedor preferiu receber seu prêmio em dinheiro e a guitarra permaneceu na revista até hoje, quando um parente do ex-editor decidiu levá-la a leilão. Apesar do tempo e do uso, a Futurama está em ótimo estado de conservação, assim como seu estojo original, enfeitado com adesivos da época de Hamburgo. Os documentos de compra acompanham o instrumento.

Ao longo de sua carreira, durante os Beatles e depois deles, George pôde ter várias Stratocasters. A mais famosa delas foi a Rocky, pintada a mão por ele com elementos psicodélicos e religiosos, e que hoje pertence ao seu filho Dhany Harrison, como de resto todos os seus outros instrumentos.

Segundo Claire Tole-Moir, leiloeira da Bonhams Entertainment Memorabilia, responsável pelo leilão, “é raro e excitante ver uma guitarra dos Beatles chegar ao mercado. George Harrison é um dos maiores nomes do rock e temos o privilégio de lidar com um instrumento que remonta a um período inicial da história dos Beatles, quando a banda estava aprendendo seu ofício e desenvolvendo o som que encantaria o mundo. Já há um enorme interesse dos colecionadores.”

O leilão será realizado no dia 12 de junho, próxima quarta-feira, e a estimativa é de que um colecionador arremate a Futurama por algo em torno de 200 mil e 300 mil libras (entre R$ 1,14 milhão e R$ 1,71 milhão). Um investimento milionário, à espera do primeiro lance.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora