Orquestra Sinfônica faz apresentações de Páscoa

Apresentações pascais da Orquestra Sinfônica de Americana com o Collegium Vocale vão abordar o tema a partir de diferentes períodos


Da renascença italiana do século 16 ao soul gospel do final do século 20, a diversidade de estilos e compositores darão o tom no concerto de Páscoa que a Orquestra Sinfônica de Americana vai apresentar junto ao Collegium Vocale Campinas, nos próximos dois domingos (dias 21 e 28), em suas cidades natais. A entrada é gratuita.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal.JPG
Músicos da Orquestra de Americana e do Collegium Vocale, de Campinas, durante ensaio no CCL nesta semana

O programa traz obras de G. F. Handel, Giovanni Gabrieli, César Franck, Rob Gardiner, Dan Forrest, Vaughan Williams e Ola Gjelo e a regência é do maestro Akira Kawamoto, do Vocale.

“O que unifica é a temática. Vamos ter Giovanni Gabrieli e o coro vai se dividir em duas partes, que vão ficar nas laterais para produzir esse efeito de espacialização do som. É uma música que joga com a estereofonia. A mais antiga é essa, do século 16. E na mais recente, a gente vai chegar até uma versão do ‘Hallelujah’ de Handel, mas feita numa versão soul gospel”, explica Alvaro Peterlevitz, maestro da orquestra.

Akira adianta que, para a interpretação de Gabrieli, a divisão dos coros ainda vai incluir um acompanhamento de órgão e metais, o que resultará na divisão de três grupos em diferentes posições para dar o efeito estereofônico desejado.

“A maioria do repertório tem como fio condutor a Páscoa, mas inseri algumas músicas mais contemplativas também, como ‘Sanctus’ (Dan Forrest) e ‘The Ground’ (Ola Gjeilo)”, conta Akira.

A apresentação passará pelo barroco, classicismo, romantismo e obras contemporâneas sacras. Alvaro também destaca o coro final de “Israel no Egito”, de Handel”, e o “Salmo 150”, de Cesar Franck.

“No ano passado, por exemplo, tinha um enfoque em peças pintando a ressurreição. Dessa vez é mais contemplativo, não tão focado num evento em si, mas contemplando a época como um todo”, contextualiza Alvaro.

Para a apresentação com o coro, ele explica que a orquestra tem de se adaptar acusticamente. “Não é equilíbrio só entre os instrumentos em si que a gente tem que buscar, mas a gente tem que entender um contexto acústico maior, ampliado, escutar o coro e tentar mixar nosso som com o deles. Tudo isso sem o auxílio de tecnologia, no intuitivo, no ensaio”.

PARCEIROS. O Collegium Vocale Campinas e a Orquestra Sinfônica de Americana cultivam uma parceria há quatro anos para o concerto desta época. Já foram mostradas obras que narravam a prisão, condenação, morte e ressurreição de Cristo, a origem da Páscoa com a libertação do Povo de Israel do Egito, entre outros aspectos relacionados a essa data.

Concertos

  • Dia 21 de abril
    Paróquia Bom Jesus, às 19h30
    Endereço: Rua José de Alencar, s/n, Centro, Americana
  • Dia 28 de abril
    Igreja Nossa Senhora de Lourdes, às 19h30
    Endereço: Rua Gonçalves César, 79, Jardim Guanabara, Campinas

*Ambos os concertos têm entrada gratuita

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!