Oficina mescla os ritmos de Brasil e Angola em Americana

Fruto de extensa pesquisa realizada por músico e capoeirista, concerto didático traz percussionistas africanos para a RPT


Com dez anos de existência, o “Projeto Brasil Angola, Tradição Rítmica e Cultural” foi construído através de pesquisas realizadas por território angolano pelo percussionista e produtor musical Rodrigo Mouraes e o mestre de capoeira Sidney Tempesta, o Pernilongo, da Abadá-Capoeira.

Nesses anos de parceria foram publicados dois livros sobre percussão e promovidos diversos intercâmbios culturais entre os dois países. E o mais novo dos intercâmbios é uma oficina que será oferecida a partir das 19h desta terça-feira, com a participação dos músicos angolanos Jorge Mulumba e Cabuenha Janguinda, além dos percussionistas Heber Pequeno, Bruno Michel e Piquira.

Foto: Ada Schveitzer / Divulgação
O músico angolano Cabuenha Janguinda é um dos convidados para o concerto que acontece nesta terça-feira em Americana

“Eu e o Pernilongo fomos para lá pesquisar a origem do hungo, que é o berimbau angolano que originou nosso berimbau brasileiro. E nessa viagem a gente descobriu vários instrumentos que eram comuns pra gente aqui que tinham vindo de lá”, contextualiza Rodrigo.

Ele ressalta que Angola é um dos países que mais influenciaram a cultura brasileira musicalmente e que, do porto da cidade de Benguela partiram mais de 4 milhões de escravos para o Brasil, por uma conhecida rota de tráfico, que em linha reta chegava até Salvador.

Não é preciso ser músico para participar da oficina. “A gente vai fazer um concerto didático. O semba é muito próximo do samba de roda brasileiro. Vou falar como é o ritmo, mostrar a diferença de um ritmo do outro, mostrar pra quem queira e o Jorge e o Cabuenha vão tocar os tradicionais e cantar em cima dos sambas. Então, é uma junção e por isso que chama semba de roda”, explica o percussionista.

Também haverá um momento com apresentação da história dos dois ritmos “Vamos ter tambores e eu vou mostrar como são as levadas. E quem for só para assistir, vai ser meio que um show também, por isso que estou chamando de concerto didático”, finaliza Rodrigo.

A Oficina Semba é uma realização da Associação Brasileira de Apoio e Desenvolvimento da Arte-Capoeira – Abadá-Capoeira de Americana, com apoio do Movimento Juca Jazz.

Acontece:

A oficina Semba de Roda será realizada nesta terça-feira, a partir das 19h, na Abadá-Capoeira (Rua Dr. Angelino Sanches, 442, Vila Santa Catarina). Os ingressos custam R$ 20 e podem ser comprados no local. Para quem adquirir o livro “Brasil Angola, Tradição Rítmica e Cultural”, ao valor de R$ 40, a atividade será gratuita. Informações: (19) 99755-5588 ou 98900-4970.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora