Música instrumental é destaque em Nova Odessa

Big Band e noneto contarão com a participação especial do trompetista Sidmar Vieira na programação da 3ª Mostra de Música Instrumental


O plural e o singular vão dialogar na 3ª Mostra de Música Instrumental de Nova Odessa, que ocorre na noite desta quarta-feira, no Teatro Municipal Divair Moreira, com apoio da prefeitura. Os shows da Cabareto Early Jazz Band, com seus 17 membros, e do Felipe Coelho Noneto contarão com a participação especial do trompetista paulistano Sidmar Vieira. As apresentações vão resgatar desde as raízes populares do jazz dos anos 1920 a nuances de pop, bossa nova e samba.

Organizador da mostra e líder do noneto, que tem músicos de Nova Odessa, Americana, Santa Bárbara d’Oeste e Hortolândia, Felipe Coelho afirmou que a filosofia do evento é sempre inovar na programação. E, nesse ano, a ideia foi trazer um solista reconhecido.

Foto: Divulgação
Sidmar Vieira

Estudante do trompete clássico desde os 11 anos (hoje tem 32), Sidmar Vieira integra a Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, uma série de Big Bands que já tocou com importantes músicos da cena internacional, como Maria Schneider, Frank Sinatra Jr. e Zalon Thompson. Participou ainda do Festival de Montreux com Márcia Castro, em 2010. Atualmente, está em trabalho de divulgação de seu primeiro disco com o Sidmar Vieira Quinteto, intitulado “Livre”.

“Vamos apresentar algumas obras autorais minhas, algumas músicas autorais do Sidmar também, e duas releituras de temas importantes da música instrumental. Uma delas é de ‘Aleluia’, do Lincoln Olivetti com o Robson Jorge. E a outra é o ‘Birdland’, do baixista Jaco Pastorius”, revela Felipe.

Em relação a estilos, ele evita rótulos, embora adiante que nuances de jazz, pop, samba e bossa nova estão no repertório escolhido. “Mas eu gosto de pensar na referência do Hermeto Pascoal de que a gente faz música universal”.

De Campinas, o Cabareto vai trazer sua formação completa de Big Band, com quatro membros na seleção rítmica, quatro trompetes, três trombones, cinco saxofones e um clarinete. Em seu repertório, criações de Duke Ellington, Count Basie e de autoria própria. “O Cabareto começou em 2016, como octeto, e a proposta era pesquisar as primeiras sonoridades do jazz lá da década de 20, década de 30. A gente buscava um som muito tradicional e sempre muito atrelado à dança, ao surgimento das danças negras. Levamos muito o público que vai pra dançar para os nossos shows”, explica Luca Alves, diretor artístico, arranjador e guitarrista do grupo.

A partir de 2017, eles decidiram agregar novos membros e neste ano chegaram aos 17, inspirados em um repertório mais ligado às décadas iniciais do século 20. “Daí já envolve a famosa era swing, onde a dança realmente se popularizou nos Estados Unidos e no mundo inteiro, através da grande mídia”, contextualiza o músico.

A Big Band tem planos de gravar e lançar em 2019 seu primeiro disco, com músicas autorais. “Nosso show tem esse perfil de desconectar o jazz de uma elitização, que na verdade não existe nas suas raízes, e trazer um pouco mais para o lado popular, mais caracterizado, justamente de onde ele surgiu”, acrescenta Luca.

Além de Felipe Coelho, organizam a mostra Bruce Willian, Emerson Castro e Marco Almeida Jr.

ACONTECE: A 3ª Mostra de Música Instrumental de Nova Odessa vai ocorrer a partir das 20h desta quarta-feira, no Teatro Municipal Divair Moreira, localizado na Rua do Tamboril, 140, Jardim das Palmeiras.
Os ingressos custam R$ 10 e podem ser comprados na bilheteria.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!