Mazinho Quevedo revisita história do sertanejo raiz

Acompanhado de outros músicos, violeiro traz releituras de duplas clássicas do gênero a teatro


“Uma breve história da música sertaneja raiz”. É o que promete Mazinho Quevedo para o show que apresentará no Teatro Municipal Manoel Lyra, em Santa Bárbara d’Oeste, neste sábado. Ao LIBERAL, ele afirmou que serão apresentadas pérolas do estilo que “raramente se vê em programa de televisão” e criticou novas vertentes do gênero.

Foto: Divulgação
Mazinho Quevedo traz releituras de duplas como Tião Carreiro & Pardinho, Tonico & Tinoco e Barreto & Barroso para o palco do Manoel Lyra

“É um show muito bacana. É um retrospecto da música caipira. Vai de Cornélio Pires aos dias de hoje. Hoje em dia, poucas pessoas conhecem esse repertório. O teatro hoje em dia você pode ousar um pouquinho, ir para o lado cultural. É muito interessante pra mim voltar para o teatro aí na região, pra gente poder mostrar essa retrospectiva”, celebra o músico.

No repertório, releituras de duplas clássicas, como Zé Carreiro & Carreirinho, Tião Carreiro & Pardinho, Tonico & Tinoco e Barreto & Barroso. “[Na apresentação] tem a Adrielli, que canta comigo, e também o meu filho no violão e na viola me acompanhando. Bem acústico, bem bacana. Passando pelos grandes nomes da música caipira”, acrescenta.

Ele afirma que as pessoas estão se esquecendo “das coisas boas da vida”, e que o show é para “cultuar essas coisas boas”.

“A música que vem que é só entretenimento, não tem cultura, acaba isolando as pessoas. Acabam não conhecendo mais. As novas gerações, vai ser difícil elas conhecerem essas coisas. É uma oportunidade pra gente contar, pra relembrar. Para as pessoas acabarem relembrando isso. Relembrando e conhecendo”, aponta.

Ele ainda critica a música comercial, que paga para tocar. “Esse sertanejo que está tocando em rádio, está tocando na rádio porque estão pagando. Estão comprando mídia pra tocar. E a música caipira e a cultura estão ficando para trás no Brasil. Isso é reflexo do nosso próprio Brasil. O Brasil está desse jeito desorganizado. E a educação e a cultura acabam ficando em 12º plano. É uma pena. A ida no teatro, a maioria agora, é através do humor. Música é muito raro. E a gente está falando de Americana., Santa Bárbara, o fino do Brasil. Cidades grandes da região”, analisa.

Mazinho diz que não busca fazer crítica, mas sim um alerta. “As pessoas têm que ter acesso à cultura”, diz. “[Essa música raiz] é de quem não fica gravando música comercial para rádio. É de quem aposta a carreira inteira dentro da cultura caipira. Ela fala mais verdadeiramente as nossas vozes, para os nossos corações”, acrescenta.

A turnê passará por outras cidades do interior depois de Santa Bárbara e continua até o final do ano. “A cidade de Santa Bárbara d’Oeste é uma cidade muito querida”, diz.

Acontece. O show acontece a partir das 20h30, no Teatro Municipal Manoel Lyra, na Rua João 23, 61, Centro. Os ingressos custam entre R$ 25 e R$ 50 e podem ser comprados na bilheteria ou em pontos de venda. Informações: (19) 3464-9424.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!