Jovem músico adapta clássicos do jazz

Aos 21 anos, Felipe Salvego traz releituras de Miles Davis e Ella Fitzgerald acompanhado de guitarra e voz


Foto: Divulgação
Família de Felipe é toda ligada ao mundo da música, incluindo sua jovem irmã, Bebé Salvego

Nascido em 1998, o piracicabano Felipe Salvego mostrou interesse pela música bem cedo, quando ao invés de brinquedos convencionais pedia instrumentos musicais de presente de Natal. Filho de músico, aos 2 anos e meio já vivia dedilhando o violão e cantarolando a música brasileira de Djavan, Dorival Caymmi, Milton Nascimento e outros.

Na adolescência, se influenciou também por bandas de rock como The Doors, Led Zeppelin, Pink Floyd e Deep Purple. Depois, se encantou pela guitarra cigana de Django Reinhardt. Aos 12 anos já tocava no Hot Club de Piracicaba e aos 14 começou a estudar música no Conservatório de Tatuí. Hoje com 21, apresenta clássicos do jazz no Juca Jazz Festival, nesta sexta-feira à noite, em Americana, entrada gratuita.

“Eu faço arranjos de guitarra e voz para todas as músicas, mas meu repertório tem músicas de Wayne Shorter, Herbie Hancock, Miles Davis, Nat King Cole, Ella Fitzgerald, clássicos do jazz. E tem algumas músicas brasileiras”, explica o jovem músico, que também tem a MPB (Música Popular Brasileira) e o blues como influências.

PRECOCIDADE. Tendo como uma das referências o trabalho musical do pai, Otiniel Aleixo, ele também acompanha a precocidade musical da irmã, Bebé Salvego, que hoje tem 14 anos e já soma apresentações de seu trabalho jazzístico no The Voice Brasil Kids e Programa do Jô.

Outro de seus projetos é, inclusive, com a própria Bebé. Também mantém o Felipe Salvego Trio, que apresenta clássicos do rock, de bandas como Led Zeppelin, Pink Floyd e The Doors, e uma banda de funk e groove. “A gente toca Tim Maia, Jorge Ben, Baiana System. Além dos grooves brasileiros, a gente toca um pouco de funkadelic”, acrescenta.

Acontece. Felipe Salvego se apresenta no Juca Jazz Festival nesta sexta-feira, às 20h30, na Kalango Cervejaria (Rua da Prata, 128, Vila Biasi). A casa abre às 17h30. A entrada é gratuita, mas a organização pede a doação de um quilo de alimento, que será destinado ao Fundo Social de Solidariedade.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!