Concertos em Americana aproximam intérprete e compositor

Orquestra Sinfônica de Americana recebe o saxofonista Geremias Tiófilo em projeto que mistura erudito e popular


Na música erudita, o compositor antigo era quase como um “Deus”. O intérprete precisava manter a fidelidade à obra e, geralmente, não tinha espaço no processo criativo. A explicação é do saxofonista Geremias Tiófilo, que realizou uma pesquisa acadêmica sobre a relação entre quem cria a peça musical e quem executa.

Ele propôs um método no qual ambos conversam ao longo do processo de construção e apresentação. Com base nessa estrutura, criou um projeto que terá dois concertos realizados em Americana, neste domingo e na próxima quinta-feira, junto à Orquestra Sinfônica da cidade.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Geremias Tiófilo durante ensaio com a Orquestra de Americana no começo desta semana

Antes de Americana, Geremias já realizou a apresentação em Sorocaba, em março. O saxofonista encomendou uma obra ao compositor novaodessense Felipe Martin Coelho. Conforme ensaia e se apresenta com a peça, propõe e consulta o autor dela sobre possíveis alterações. Toda essa interação é registrada em um diário.

“Logo após a gravação eu falo com o compositor e explico o que eu senti tocando”, explica. “Hoje, século 21, na academia, o intérprete está tendo uma voz, de ‘aqui quero tocar assim’, parece que agora está ocorrendo essa fusão”, acrescenta.

Na apresentação, ele vai solar saxofone alto, clarineta e flautim. Também haverá um solo de percussão, não usual em concertos, realizado por Luís Lima, Paulo Valério e Pedro Zoppi. No repertório, além da obra de Felipe, estarão peças de Radamés Gnatalli e Nebojša Jovan Živković. 

“É exatamente isso: trechos com improvisação como se fosse jazz, e trechos de solo, como se fosse música sinfônica. E para combinar com essa obra [de Felipe Coelho], a gente está colocando junto um pioneiro desse casamento entre os dois universos, que é o Radamés Gnatalli, que nos anos 1950, no Rio de Janeiro, era um pianista clássico que foi trabalhar em rádio e olhou esses dois universos diferentes”, contextualiza o maestro Álvaro Peterlevitz, que vai realizar a regência dos concertos.

ACONTECE: O Concerto Paisagens Brasileiras vai ser realizado neste domingo, às 19h30, no Anfiteatro da Paróquia Bom Jesus (Rua José de Alencar, s/n, Centro), e no dia 25, às 20h4, no Teatro Municipal Lulu Benencase (Rua Gonçalves Dias, 696, Jardim Girassol). A entrada é gratuita.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora