Chorinho volta à cena no Juca Jazz nexta sexta-feira

Após turnê internacional, Flor de Aguapé traz repertório inédito para Americana


Uma das principais manifestações musicais do país, o choro será homenageado nesta sexta-feira pelo grupo Flor de Aguapé, em sua primeira apresentação em Americana, através do movimento Juca Jazz. O grupo apresenta composições inéditas de músicos rio-pretanos e região e que fazem parte de seu primeiro trabalho, batizado com o nome do quarteto.

“O ‘Flor de Aguapé’ reúne composições belíssimas de músicos, homens e mulheres, pouco conhecidos do grande público e também de artistas da velha guarda de Rio Preto, Piracicaba, Ourinhos e Santos talentosíssimos e, quem gosta de choro, garanto que vai gostar das músicas”, diz a vocalista Jacque Falcheti.

Foto: Dani Gurgel / Da Pa Virada / Divulgação
Flor de Aguapé se apresenta em Americana após rodar pelo Brasil e por sete países

O Flor de Aguapé se formou em 2012, em Ribeirão Preto, e reúne Leonardo Freitas (piano), Ricardo Perez (pandeiro), Alexandre Peres (cavaco) e Jacque Falcheti (voz). Após cinco anos de pesquisas, novos arranjos e shows, o grupo concretizou o sonho de gravar o primeiro disco através do ProAc, em 2017.

O trabalho já foi apresentado em seis estados brasileiros, passando por festivais de choro, jazz e outros. Em 2018, o Flor de Aguapé saiu em turnê internacional, com shows pela Argentina, Uruguai, Portugal, Holanda, Inglaterra, Bélgica e França.

“Já fizemos shows em diversas cidades da região e sempre ‘namorávamos’ Americana. Um amigo nos falou do Juca Jazz e entrei em contato como Juarez Godoy [o idealizador do movimento]. Achei o trabalho muito interessante e importante para o cenário cultural, pela forma como ele movimenta os grupos e público na cidade. Estamos muito felizes com essa parceria e ansiosos pelo show”, diz a cantora.

O choro surgiu em meados do século 19 e é considerado o primeiro gênero musical urbano do Brasil. “Não a toa, é possível você escutar um pouco de tudo nele: frevo, samba, maxixe e outro. Ele é apaixonante. Difícil alguém que o tenha ouvido ou tocado que não tenha se apaixonado por ele, tanto é que sobrevive ainda hoje mesmo não estando na grande mídia e não apenas pela velha guarda, mas através de jovens músicos e grupos que se deparam com ele ao estudarem música brasileira”, observa Jacque.

O disco Flor de Aguapé está disponível para download gratuito nas plataformas Spotify, Deezer e iTune. O grupo divulga trabalhos e agenda pelas redes sociais (Facebook e Instagram).

Acontece: O Juca Jazz acontece nesta sexta-feira (13), a partir das 18h, no Espaço GNU, com discotecagem de Viny Blanco e show de Flor de Aguapé às 20h. O Espaço GNU está localizado na Rua Padre Avelino Canazza, 258, bairro Vila Galo, em Americana.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora