Americanense lança primeiro EP falando de rompimento do namoro

“Comemorando Livramento” é o trabalho de estreia de Marília Nunes, que se prepara para encarar agenda de shows em 2020


A figura da mulher que sofre e se acaba em lágrimas e ressentimentos pelo fim do relacionamento faz parte do passado. É o que diz a cantora Marília Nunes que acaba de lançar seu primeiro EP solo, “Comemorando Livramento”. “Ela até sofre, mas nada de ficar em casa chorando. Ela chama as amigas e sai para se divertir. Essa é a mulher atual, dona de si”, diz a artista.

Em seu primeiro trabalho, Marília reforça a imagem da mulher que preza pela alegria e pelas amizades, que reconhece relacionamentos tóxicos e não cai na tentação de um “oi sumida”. A música “Wifi de Cemitério”, por exemplo, aborda o tema de maneira diferente (e divertida): “botaram wifi no cemitério, xi! Sacanagem, o morto do eu ex mandou mensagem”, canta o refrão.

Foto: Divulgação
Com as primeiras músicas registradas em estúdio, agora a cantora Marília Nunes prepara uma intensa agenda de shows pela região

“E quem nunca passou por isso? [risos] A mulher de hoje sabe o que quer. Ela é alegre, é determinada. Essa mulher atual e que dá a volta por cima que eu queria mostrar nesse EP”, comenta Marília que destaca ainda as faixas “Achou Errado”, música que inspirou o título do trabalho e a primeira com single lançado ainda em setembro; “Amiga, Ele Não Te Ama” e “Amor Improvisado”. “Gosto muito da forma como esta música retrata o amor. Diz muito sobre mim”, revela.

“Comemorando Livramento” foi concebido em quatro meses, com músicos e compositores amigos da cantora. Sua música mescla a batida do sertanejo e a alegria do forró, estilos que influenciaram a americanense, fã de Daniel, Bruno & Marrone, Aviões do Forró e Joelma, ex-vocalista da Banda Calypso. “Eu a tenho como grande referência em minha carreira porque ela é completa”, afirma.

A trajetória de Marília Nunes na música teve início ainda na infância, mas encorajada apenas na adolescência, em 2014, quando se tornou backing vocal de uma dupla sertaneja e de um grupo de pagode na região. E foi em uma das apresentações solo de Marília, durante show do grupo, que o produtor musical Antônio Caruso a “descobriu”.

Em 2016, ingressou em uma escola de música e deu início a carreira solo, com shows em bares, casas noturnas e quermesses da região. “Na época eu não tinha nada gravado. O pessoal começou a conhecer o trabalho pelo show, que era muito animado”, conta.

Para quem ficou curioso, o primeiro EP de Marília Nunes está disponível no site da cantora (www.marilianunes.com.br) e nas plataformas Deezer, Spotify e Youtube. Ainda no site e youtube é possível assistir aos bastidores da gravação do “Comemorando Livramento” e o videoclique das músicas “Achou Errado” e “Wifi de Cemitério”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora