29 de junho de 2022 Atualizado 21:50

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

CINEMA

‘Mentes Extraordinárias’, uma viagem transformadora

LIBERAL participou de cabine de imprensa do filme lançado oficialmente no Brasil nesta quinta-feira

Por Marina Zanaki

19 de maio de 2022, às 08h00 • Última atualização em 19 de maio de 2022, às 10h04

O que um agente funerário e um homem que teve paralisia cerebral ao nascer têm em comum? A princípio nada, mas esses dois personagens do filme francês “Mentes Extraordinárias” partem em uma jornada onde vão criar um laço de amizade. Na semana passada, o LIBERAL participou da cabine de imprensa do filme, que teve enorme sucesso no Festival Varilux de Cinema Francês e estreia nesta quinta-feira (19) no Brasil.

Nos minutos iniciais, o longa apresenta a rotina do agente funerário Louis (Bernard Campan) e do entregador Igor (Alexandre Jollien). Enquanto o primeiro vive um cotidiano de trabalho intenso e melancólico, com a necessidade de oferecer consolo profissional a famílias que perderam entes, o outro tem uma existência marcada pela solidão social, já que sofre preconceito por sua deficiência e se vê excluído das outras pessoas.

Os caminhos dos dois personagens vão se cruzar em um acidente, quando o carro funerário que Louis dirige acerta a bicicleta usada por Igor para entregar vegetais. Louis é gentil com Igor, mas mantêm uma postura de distanciamento quando o entregador busca uma aproximação pessoal.

Produção aborda amizade entre um motorista e um entregador de frutas – Foto: Divulgação

De maneira acidental, Igor e Louis acabam juntos em uma viagem ao Sul da França para o traslado de um corpo. Utilizando a estrutura de um road movie, a obra acompanha o desenvolvimento da relação da dupla.

Nessa trajetória, é curioso observar que os dois encontram pessoas que reagem de diferentes maneiras à deficiência de Igor. Em uma cena, um garçom ignora a presença de Igor e dirige suas perguntas apenas a Louis, que fica incomodado com a postura do atendente. Em outra, os dois encontram uma jovem que trata Igor como deveria ser a regra, e não a exceção – com respeito, gentileza e afeto.

Um dos pontos fortes do filme é que Igor se destaca pelo profundo conhecimento filosófico. Contrariando o senso comum que pessoas com deficiência intelectual não tem a capacidade de absorver conteúdo e serem inteligentes, o personagem tem falas brilhantes no filme, inspiradas nos grandes pensadores. Solitário, Igor encontrou em Sócrates, Spinoza e Nietzsche amigos para preencher as longas horas de sua existência.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O ator Alexandre Jollien, que interpreta Igor, também sofreu paralisia cerebral no nascimento. Ele é um filósofo francês autor de diversos livros e que aceitou fazer uma parceria com Bernard Campan para o filme. Ao lado de Hélène Grémillon, os dois assinam o roteiro do longa.

Opinião. O enredo do filme não é exatamente original e peca em algumas cenas clichês. Mas “Mentes Extraordinárias” se destaca pela abordagem cuidadosa do tema da deficiência e pelas críticas contundentes. Louis é um personagem cheio de traumas e solitário, que em sua jornada vai voltar a se abrir para os relacionamentos. Já Igor mostra a solidão por um outro prisma, decorrente do preconceito que sofre por sua deficiência.

Faminto de afeto, ele é rejeitado inúmeras vezes até conseguir forjar relações. É especialmente tocante quando ele fala sobre um instituto em que morou durante a infância, onde os cuidadores tinham uma postura tão profissional que usavam luvas quando iam lidar com os internos.

Igor e Louis começam o filme apenas com a solidão em comum, mas terminam a história com uma amizade importante para os dois.

Publicidade