02 de março de 2021 Atualizado 10:13

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Televisão

Matheus Abreu: adrenalina revisitada em ‘Malhação – Viva a Diferença’

Como o Tato na produção, ator explorou sua própria paixão pelo ciclismo

Por Márcio Maio - Tv Press

20 jan 2021 às 20:38

Matheus recorda que as cenas de Tato com a “magrela” sempre agitavam bastante o set - Foto: Divulgação

“Malhação – Viva a Diferença” chega ao fim nesta sexta-feira e, para Matheus Abreu, trata-se de uma nova despedida de uma fase especial de sua vida. Afinal, apesar de ter estreado na tevê como os gêmeos Omar e Yaqub na primeira fase da minissérie “Dois Irmãos”, foi na pele do determinado Tato do folhetim adolescente da Globo que ele se tornou mais conhecido do público. Um papel que, inclusive, chegou a aproximá-lo de uma paixão antiga: o ciclismo. “Sempre tive uma relação muito próxima com a bike, ela me levava para todo lugar. Na infância e adolescência, foi meu meio de transporte e minha companheira de trilhas”, conta o rapaz, que tem 23 anos.

Matheus recorda que as cenas de Tato com a “magrela” sempre agitavam bastante o set. Desde os treinos às sequências de competição. “Na preparação, eu e o Gabriel Calamari, o Felipe na trama, tivemos contato com atletas reais de downhill urbano, como o Bruno Gayer (Chupim)”, lembra. A produção do seriado, porém, não deixava o ator executar algumas manobras, mesmo as que já tinha o costume de fazer fora da ficção. “Como descer alguns lances de escada, por exemplo. Não podíamos correr o risco de um acidente no meio da novela”, explica.

O gosto pelos esportes radicais veio cedo. “Sempre me senti muito atraído, gostava de experimentar de tudo um pouco. Mas tenho uma queda por aqueles que deixam a adrenalina fervendo”, diz.

Na verdade, trata-se quase de uma herança de família. Quando criança, Matheus acompanhava o pai em trilhas de jipe. “Não parei mais com o off-road, seja nas quatro ou duas rodas, de bike, de moto ou a pé. Mas minha paixão mesmo são as duas rodas das motos. A sensação de fazer uma trilha, de chegar todo sujo, mas de alma lavada, é um deleite”, entrega.

Na história de “Malhação: Viva a Diferença”, Tato começou completamente apaixonado por Keyla, vivida por Gabriela Medvedovski. Foi por conta desse sentimento e para ajudar a cuidar de Tonico, filha dela, que o rapaz chegou a deixar de lado a paixão pelo downhill urbano e o desejo de chegar a uma final de torneio no esporte. “A chegada de uma criança traz muitas responsabilidades. Tato passou a trabalhar para suprir as necessidades do garoto. Só tinha tempo de ir à escola e trabalhar”, justifica.

A dedicação de Tato por Keyla era tanta que ele assumiu, inicialmente, a paternidade de Tonico. Mas a chegada de Deco, personagem de Pablo Morais e pai biológico do bebê, no entanto, mexeu com a relação do casal.

“Ficou um pouco abalada. Uma mistura de ciúmes, de insegurança, não só pela Keyla, mas também pelo Tonico. Era um medo de perder as coisas que ele mais amava na vida”, analisa Tato, que aproveitou o período de quarentena da pandemia do novo coronavírus para fazer coisas que sempre teve vontade, mas não sobrava tempo.

“Estou bem conectado com a música, aprendendo a tocar violão, estudando percussão. Aproveitei também para ler mais, assistir a séries, filmes, me exercitar e me arriscar na cozinha”, exemplifica.

Publicidade