27 de maio de 2022 Atualizado 14:30

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Formato original

Luiz Henrique Rios valoriza modelo clássico de novelas

À frente dos trabalhos de “Além da Ilusão”, que estreia dia 7 de fevereiro, ele faz uma valorização do clichê

Por Caroline Borges - Tv Press

25 Janeiro 2022, às 08h51 • Última atualização 25 Janeiro 2022, às 08h52

justamente no bucólico horário das seis que Luiz Henrique pretende resgatar as novelas em sua essência mais tradicional - Foto: Divulgação - Globo

Já faz uns bons anos que as séries ganharam um considerável espaço entre o público. Em busca de manter e até ampliar seu público, as tradicionais novelas começaram a seguir o formato ágil das séries de sucesso internacional. Luiz Henrique Rios, no entanto, quer voltar para o modelo clássico e romântico dos folhetins.

À frente dos trabalhos de “Além da Ilusão”, que estreia dia 7 de fevereiro, ele faz uma valorização do clichê. “A Alessandra Poggi (autora) faz uma novela sem medo de ser novela. Ela faz o clichê não como algo repetitivo e velho, mas como algo que é inconsciente e próximo de todos. É uma novela que deseja ser novela. Tem uma interpretação moderna e uma linguagem mais contemporânea, mas, ao mesmo tempo, dentro da estrutura narrativa de ser novela”, explica o diretor, que se inspirou em filmes como “Orgulho e Reparação” e “O Ilusionista”.

“Tivemos um ano com essa novela na mão. Então, deu para fazer uma pesquisa ampla de referências. Vamos registrar um passado colorido, com luzes mais altas, um passado encantador”, completa.

A trama conta a história de amor de Davi e Isadora, vividos por Rafael Vitti e Sofia Budke/Larissa Manoela, que vão encarar diferenças de classe, convenções sociais e, principalmente, grandes injustiças até poderem viver juntos a plenitude desse sentimento. Na primeira fase da novela, Davi se apaixona e se envolve com Elisa, papel também de Larissa Manoela. Em uma trágica reviravolta, a jovem morre e Davi é condenado a 20 anos de prisão por um crime que não cometeu. Depois de 10 anos na cadeia e inconformado com a injustiça, o mágico recorre aos seus truques para fugir. Na fuga, seu caminho cruza com Isadora, irmã de seu grande amor do passado.

“O que acho mais bonito é que essa é uma história de reparação. Normalmente, enredos de reparação se dão pela vingança, mas no caso de Davi a reparação se dará pelo amor”, aponta.

Assim como boa parte dos projetos da Globo nos últimos anos, “Além da Ilusão” sofreu com a sucessão de atrasos em virtude da pandemia de Covid-19. Luiz Henrique, inclusive, entrou no projeto após Pedro Vasconcellos decidir deixar a novela e a emissora. “O Rafa e a Larissa foram escolhidos pelo Pedro. Foi uma escolha muito feliz dele. São dois seres-humanos incríveis e grandes artistas. É inacreditável como eles estão bem no vídeo. Vai ser lindo se deparar com toda essa grandiosidade quando o projeto estrear”, elogia.

Apesar do cenário mais favorável e o avanço da vacinação, a novela não deixou de sofrer com a sombra do novo coronavírus. A recente explosão de casos da doença, por conta do avanço da variante ômicron, deixou a direção com seu alerta ligado para um possível adiamento da estreia. Luiz Henrique, porém, está confiante que seguirá com a data original de 7 de fevereiro.

“Estamos gravando desde setembro. Então, temos bastante coisa feita e estamos avaliando tudo todos os dias. A princípio, a gente não está considerando não estrear. Mas obviamente estamos vivendo em um mundo que tudo muda a todo instante. Se Deus quiser, vamos estrear dia 7 com todos muito bem de saúde, felizes e levando encantamento para a casa do público”, torce.

Publicidade