São Paulo sedia Campeonato Brasileiro de Poesia Falada

Durante o evento, os campeões de 29 poetry slams brasileiros competem por uma vaga na Copa do Mundo de Slam, que será realizada na França


São Paulo sedia neste domingo a terceira edição do Slam BR – Campeonato Brasileiro de Poesia Falada, no Itaú Cultural, com poetas de todo o país. Durante o evento, os campeões de 29 poetry slams brasileiros competem por uma vaga na Copa do Mundo de Slam, que será realizada na França no ano que vem.

Poetry slams são batalhas de poesia falada, celebradas em mais de 500 comunidades do mundo. “Surgidas na década de 1980 nos Estados Unidos, desde 2008 elas vêm se espalhando pelo Brasil. A programação do Slam BR apresenta diversas atividades da fase final do campeonato”, diz a organização do evento.

Foto: Agência Brasil
Vencedores da competição nacional irão para a França disputar o mundial

“O Slam acaba sendo uma maneira de as pessoas terem voz, é uma ágora livre, tem regras muito simples, são poemas próprios de no máximo três minutos, sem acompanhamento musical, com júri popular e você precisa de pouquíssimas coisas para realizar”, afirma Roberta Estrela D’Alva, idealizadora do evento e integrante do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, companhia de teatro e hip hop que organiza o campeonato.

“[O evento] é uma maneira de as pessoas se expressarem, se ouvirem, trocarem ideias e até debater política de maneira poética, é um espaço da voz, da fala, da escuta. Ainda mais em um momento político como temos vivido, não só agora. Somos um país que teve ditadura, que teve 400 anos de sistema escravocrata, então há muitas vozes que são ‘invisibilizadas’ por conta das mazelas que esses sistemas deixaram. São espaços em que essas pessoas têm voz por meio de um jogo”, acrescenta.

O campeonato começou na quinta-feira (15), quando os poetas participaram de duas finais: Menor Slam do Mundo (de poemas curtos) e ZAP! (o primeiro poetry slam do país). Também houve o sorteio das chaves que competirão nesta sexta (16), quando cada um dos seis grupos – compostos de cinco poetas – passará por duas rodadas de competição.

Das batalhas, seis poetas passaram para a grande final, que ocorre hoje e revela o representante brasileiro na Copa do Mundo de Slam. As atividades são abertas ao público e contam com interpretação na Língua Brasileira de Sinais (Libras).

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora