Núcleo cinematográfico promove financiamento coletivo de livro

Objetivo é lançar o livro “Poética da Ilusão de Movimento”, de José-Manuel Xavier, pela primeira vez no Brasil


A animação brasileira vem crescendo, ganhando destaque no Brasil e no mundo, mas ainda há poucas obras sobre cinema de animação por aqui. Buscando contribuir para alterar este quadro, o Núcleo de Cinema de Animação de Campinas criou uma campanha de financiamento coletivo para lançar no país o livro “Poética da Ilusão de Movimento”, de José-Manuel Xavier.

O Núcleo de Cinema de Animação de Campinas é uma entidade com 44 anos de existência, sendo, portanto, uma das pioneiras da animação no Brasil. Seus diretores, Wilson Lazaretti e Maurício Squarisi, já realizaram mais de 2500 oficinas e cursos de animação por todo o Brasil e no exterior, para adultos e crianças, através de uma metodologia própria, que prioriza o traço autoral de cada aluno/autor.

Foto: Mariana Rodrigues
Maurício Square, co-diretor do Núcleo campineiro, durante evento na cidade de Hortolândia no ano passado

“O Núcleo tem forte vocação educativa, difundindo sua filosofia de animação pelos quatro cantos do mundo. A ‘Poética da Ilusão de Movimento’ vem fazer coro com essa filosofia. É um livro necessário, provocador e surpreendente”, comenta Filipe Augusto Miranda, animador e professor de artes. Membro do Núcleo desde 2012, Filipe organizou a campanha de financiamento na plataforma Catarse, em parceria com a Lesma – La Extraordinária Semana de Mostras Animadas, mostra de filmes na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) -, que chega em 2018 à 3ª edição.

O livro “Poética da Ilusão de Movimento”, do português José-Manuel Xavier, busca abordar a animação autoral através da comparação com a poesia. O autor é um animador português, professor da Escola Nacional de Jogos e Mídias Digitais Interativas na França. Seus filmes já circularam nos principais festivais de animações do mundo e seus livros são citados em diversos trabalhos acadêmicos.
“O grande aliado de José-Manuel Xavier é Fernando Pessoa, que não foi animador, mas o seria, porque nele estava a poética da qual estamos falando. A arte da animação está intrinsecamente ligada à natureza humana desde os primórdios do nosso despertar como seres humanos. Temos de admitir, ou mesmo afirmar, que o homem primitivo era um animador poético”, diz Wilson Lazaretti, animador e fundador do Núcleo de Cinema de Animação de Campinas.

A CAMPANHA

A campanha funciona como uma pré-venda da obra. O lançamento do livro será na Lesma, de 26 a 28 de outubro, na Unicamp. Os interessados podem adquirir a obra por R$ 35 para retirada no evento, ou optar pelo envio via correio. Mas é possível apoiar a iniciativa com valores a partir de R$ 10. A campanha pode ser acessada em https://www.catarse.me/poetica_da_ilusao_de_movimento_1dea e segue até o dia 23 de setembro.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!