Escritor resgata nostalgia dos anos 80 em obra de mistério e terror – O Liberal

Escritor resgata nostalgia dos anos 80 em obra de mistério e terror

Em “Relicário da Maldade”, Jefferson Sarmento usa diversos elementos da década de 80 para contar uma história cheia de mistério e tons de terror


Foto: Divulgação
Livro narra a história de três garotos que libertam do porão da casa de uma velha moradora uma coleção de maldades trancafiadas em um baú de horrores

A nostalgia nunca esteve tão presente na cultura pop como nos dias de hoje, quando filmes clássicos ganham versões atualizadas ou grupos musicais retornam para novas apresentações. O fato é que os anos que formam a juventude das pessoas são sempre vistos com carinho e saudade. Em seu quarto livro, “Relicário da Maldade”, o escritor Jefferson Sarmento usa a nostalgia e diversos elementos da década de 1980 para contar uma história cheia de mistério e tons de terror.

“Fui um adolescente típico dos anos 80, que adorava os filmes fantásticos que passavam nos cinemas e na televisão”, relembrou o autor, em entrevista ao LIBERAL. “Embora Relicário da Maldade seja meu quarto livro, é o primeiro em que voltei àquele tempo para me deliciar com algumas das melhores memórias que cultivei”, reforçou.

O livro, lançado pela editora Oito e Meio, narra a história de três garotos que libertam do porão da casa de uma velha moradora uma coleção de maldades trancafiadas em um baú de horrores. “A maior parte das experiências dos personagens eu realmente vivenciei. O que fiz foi incluir o ingrediente sobrenatural, o elemento de horror herdado das melhores histórias que eu consumia naquela época”.

Livros, filmes e músicas clássicas da década de 1980 se mesclam com a narrativa do livro, resultando em uma publicação que tem tudo para agradar os fãs de produções como “Stranger Things” e “It – A Coisa”, que, segundo o autor, fazem sucesso justamente por tentar emular o sentimento oitentista e extrapolar a realidade.

Foto: Divulgação
Filmes que marcaram a década de 80 serviram de influência ao livro

“Talvez o meu maior desafio tenha sido não inserir explicações demais na história. Ou detalhes pseudocientíficos, conjecturas sobrenaturais… A história funciona pelo que ela é. A cultura pop daquela época era assim, sem muitas explicações para assassinos que invadiam pesadelos, alienígenas que colocavam ovos dentro de seres humanos, cemitérios onde pessoas enterradas voltavam à vida”, disse.

Para quem gosta de livros de suspense e terror, não é preciso dizer que “Relicário da Maldade” é inspirado em publicações de Stephen King. Mas a lista de influências vai além. “A lista vai desde Clive Barker a Peter Straub e F. Paul Wilson, voltando no tempo até Lovecraft e Edgar Alan Poe”, apontou o escritor.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora