13 de julho de 2024 Atualizado 08:22

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cultura

Há três anos no Grupo Globo, Natália Lara é a primeira profissional a narrar Olimpíadas na Globo

Por CAROLINE BORGES - TV PRESS

10 de julho de 2024, às 16h36

As Olimpíadas de Paris começam apenas a partir do próximo dia 26 de julho. No entanto, Natália Lara, narradora do Grupo Globo, já estava focada nesse ciclo olímpico desde o fim dos jogos de Tóquio, que aconteceram em 2021. Assim como os atletas e medalhistas olímpicos, a jornalista encara um período intenso de preparação até o início da tradicional competição internacional.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

“Estou com esse foco desde o fim das últimas olimpíadas. A gente começou se preparar desde o fim dos jogos de Tóquio. Cada torneio ou jogo narrado foi uma preparação até aqui. A gente brinca que não é atleta, mas somos um pouco atletas da narração. Chique, né? (risos)”, brinca.

Aos 30 anos, Natália caminha para sua segunda Olimpíada na Globo. Ela terá a responsabilidade de narrar os jogos da seleção feminina de futebol e também outras modalidades que aparecerem pelo seu caminho durante o horário de expediente. “Olimpíada a gente trabalha muito e dorme pouco. Tem de estar sempre atento para narrar o que vem pela frente. Lembro que, nos jogos de Tóquio, o vôlei acabou mais cedo do que o esperado. Então, falaram para eu narrar tênis. Mas ficou um dilema até sabe se seria o jogo da Sabalenka (tenista bielorrussa) ou do Djokovic (tenista sérvio). Foi um fecha aba, abre aba… No final, acabei narrando um jogo de rugby. Pedi para o comentarista me ensinar rugby em dois minutos. E deu tudo certo”, relembra.

Natália, que será a primeira mulher a narrar uma Olimpíada na Globo, celebra o crescimento da presença feminina não apenas nas equipes jornalísticas, mas também nos números de atletas mulheres que irão aos Jogos de Paris. “Não poderia estar mais feliz em ser a primeira narradora da Globo em Olimpíadas. Finalmente estamos atingindo nossa tão sonhada equidade de gênero. É primeira vez que temos a expectativa de mais mulheres ganhando medalhas. Estou muito ansiosa para contar a história dessas outras mulheres. Temos, por exemplo, muitas mulheres fazendo história no skate”, aponta.

Natural de São Paulo, Natália integra a equipe de narradores do Grupo Globo desde maio de 2021, após passar pelos canais ESPN. Foi a segunda mulher a narrar no SporTV. Depois de ter frustrados os sonhos de se tornar jogadora de futebol, a jornalista achou outra forma de estar próxima do esporte. “Fiquei muito marcada pela eliminação do futebol feminino nos jogos de 2016. Todo o clima que foi se formando, a garotada rasgando o nome do Neymar e escrevendo o da Marta. Sabia que tinha de ajudar o futebol feminino. O joelho não me deixou virar jogadora, mas hoje estou contribuindo de outra forma”, valoriza.

“Olimpíadas de Paris” – Entre 26 de julho e 11 de agosto, na Globo, SporTV e Globoplay.

Publicidade