Grupos lutam para manter viva a tradição da Folia de Reis

Festividade acontece no Dia de Reis, celebrado nesta segunda-feira, dia 6 de janeiro, e que no passado era festejada por católicos em várias cidades


A Folia de Reis é uma daquelas festas que une religiosidade, história e sabedoria popular. Ela faz parte do folclore brasileiro e, como muitas realizadas em solo tupiniquim, é mantida pela iniciativa (e boa vontade) de pequenos grupos de fiéis como a Companhia Estrela de Belém, em Santa Bárbara d´Oeste, e Companhia Rosa dos Anjos, em Hortolândia.

Foto: Arquivo / O Liberal
Após um período sem sair às ruas, o grupo Estrela de Belém retoma as atividades para os festejos do Dia de Reis, nesta segunda-feira

Cada grupo tem sua própria programação, no entanto, incluem visitação a casas de fiéis e apresentações em igrejas e praças. O “giro”, como é chamada a peregrinação realizada por esses grupos, teve início em outubro de 2019 e se encerrará este mês.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp

Neste domingo, a “Rosa dos Anjos” participa da missa das 7h30, na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, no bairro Jardim Campos Verdes, em Hortolândia, e segue para visitação de casas até às 17h.

O encerramento das atividades acontece no dia 11, às 16h, com celebração do terço de Santos Reis e jantar, servido gratuitamente na mesma paróquia.

Ouça o “Além da Capa”, um podcast do LIBERAL

Em Santa Bárbara, a “Estrela de Belém” mantém a visitação às casas nos próximos finais de semana. O encerramento do “giro” está marcado para o dia 26, na Casa de Maria, localizada no bairro Planalto do Sol, com a participação da “Luz Divina”, companhia convidada, de Várzea Paulista.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora