02 de março de 2021 Atualizado 22:34

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cultura

‘Filhas de Eva’ estreia no Dia Internacional da Mulher no Globoplay

Com um trio de protagonistas femininas, o projeto foca nos impasses, dúvidas, obstáculos e decisões inerentes à vida de diversas mulheres

Por Caroline Borges / TV Press

16 fev 2021 às 07:22

Os mistérios da personalidade feminina já inspiraram diversos poetas, músicos, cronistas e autores ao longo da história. Essa fonte inesgotável de referências e inspirações norteou o trabalho de Martha Mendonça durante o processo de criação da série “Filhas de Eva”, novo original Globoplay.

Com um trio de protagonistas femininas, o projeto foca nos impasses, dúvidas, obstáculos e decisões inerentes à vida de diversas mulheres. Inicialmente prevista para estrear no próximo dia 19, a produção aproveitará o mote do Dia Internacional das Mulheres, 8 de março, para o lançamento na plataforma de “streaming”.

Com um trio de protagonistas femininas, o projeto foca nos impasses, dúvidas, obstáculos e decisões inerentes à vida de diversas mulheres – Foto: Divulgação

“Sempre escrevi sobre mulheres e o tema do ‘feminino’, através das gerações, é algo que me inspira. Esse universo é rico para ser explorado e buscamos personagens fora dos clichês”, explica Martha Mendonça, que assina o texto ao lado de Adriana Falcão, Jô Abdu e Nelito Fernandes.

A produção mostra as vidas de Stella, Lívia e Cléo, interpretadas por Renata Sorrah, Giovanna Antonelli e Vanessa Giácomo, após terem seus caminhos entrelaçados. A série se inicia na festa de Bodas de Ouro de Stella e Ademar, papel de Cacá Amaral.

Filha de Stella, Lívia precisa lidar com as mudanças que acontecem em sua vida após uma difícil decisão da mãe. “A Lívia é uma psicóloga de relacionamentos, muito bem-sucedida, mas que não consegue enxergar sua própria vida. No decorrer da história, ela passa por uma grande transformação”, afirma Giovanna.

Enquanto mãe e filha precisam administrar as mudanças iminentes, Cléo tenta aprender com seus erros. “Na trama, ela se perde e se encontra nos próprios conflitos, mas não desiste”, ressalta.

O trio de protagonistas não atuava junto desde o fim de “A Regra do Jogo”, que foi ao ar em 2015. As gravações, que foram lideradas pelo diretor Leonardo Nogueira, foram encerradas em fevereiro do ano passado. Renata valoriza o tempo no “set” com as colegas de cena. “O melhor é que ficamos ainda mais amigas, foi um período de muita troca e nos divertimos muito neste trabalho”, elogia.

GRAVAÇÕES

Cerca de 70% das cenas foram gravadas em externas, e as demais, nos Estúdios Globo. Bairros como Grajaú, na Zona Norte, Lapa, no Centro, Glória, Catete, Flamengo, além da Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul, foram alguns dos locais escolhidos para as semanas de gravações. O elenco também conta com as participações de Marcos Veras, Dan Stulbach, Stenio Garcia e Debora Ozório.

“Vamos apresentar questões a partir da história de três mulheres de personalidades distintas, cada uma em busca do que considera ‘liberdade’, tentando se livrar de suas próprias prisões”, finaliza o diretor artístico Leonardo Nogueira.

Publicidade