05 de maio de 2021 Atualizado 23:18

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cultura

Fenômeno atemporal

“Sandy e Junior: A História”, docussérie de sete episódios, estreia na tevê aberta

Por Caroline Borges - Tv Press

13 abr 2021 às 13:32

A obra apresenta registros da infância e da adolescência dos irmãos, momentos em família e gravação de discos e clipes - Foto: Divulgação - Globo

A música foi o grande alicerce artístico dos irmãos Sandy e Junior ao longo dos anos. Ainda assim, a televisão também acompanhou de forma intensa a carreira musical da dupla. Em 32 anos de trajetória, os irmãos protagonizaram uma novela e um seriado de sucesso. E agora, voltam ao vídeo para uma retrospectiva dos anos dourados de sucesso.

A partir de hoje, dia 11, a Globo estreia a série documental original “Sandy e Junior: A História”, que também está disponível na íntegra para os assinantes do Globoplay. “Sabemos que a vida de Sandy e Junior sempre foi muito exposta durante todos esses anos, mas nunca partiu da própria dupla contar o que eles viveram, incluindo vida profissional e pessoal. Os dois abriram a vida deles como nunca tinham feito antes. Além disso, os fãs estão presentes o tempo todo e são muito homenageados”, afirma o diretor Douglas Aguillar.

Ao longo de sete episódios, a produção recorda todos os passos da dupla, que surgiu no final dos anos de 1980. A série documental parte de um vasto acervo caseiro de Sandy e Junior, mais de 250 DVDs foram compartilhados pela mãe da dupla, Noely, com gravações dos cantores em casa e em programas de tevê.

A obra apresenta registros da infância e da adolescência dos irmãos, momentos em família e gravação de discos e clipes. Os trabalhos em dramaturgia e os desdobramentos do sucesso dos irmãos no mercado publicitário também estão presentes, assim como o show no Rock in Rio de 2001 e a carreira internacional.

“Ver a nossa vida contada em um filme é uma sensação muito diferente e, ao mesmo tempo, um privilégio. É uma sorte muito grande ter a chance de entender certas coisas do passado, que algumas vezes podem não ter ficado resolvidas; a chance de rever e reviver as coisas boas. É como uma terapia”, valoriza Sandy.

A série é costurada por depoimentos dos irmãos, de familiares e pessoas próximas à vida pessoal e profissional dos artistas, entre elas, Ivete Sangalo e Roberto Carlos. O projeto também acompanha os principais acontecimentos dos últimos 12 anos de vida de Sandy e Junior, após o anúncio de que seguiriam carreira solo.

“É uma sensação muito maluca, superemocionante. É incrível relembrar esses momentos. Tinham algumas imagens que a gente não via há milhões de anos, então foi sensacional. Estou muito feliz de ter esse documentário, porque, aos 36 anos, ter sua vida toda documentada num trabalho tão bem feito quanto este é uma honra”, reflete Junior, que confessa que sempre buscou manter os pés no chão durante as fases mais intensas da carreira. “Não tinha como a gente se perceber normal, porque não era o que acontecia. Não pirar com tudo isso e com o fato de ter uma vida com tantas conquistas. Meu maior exercício sempre foi tentar colocar o pé no chão e entender o que era real ou não”, aponta.

TURNÊ
O projeto também contempla os bastidores e a pré-produção da turnê “Nossa História”, que celebrou as três décadas de carreira da dupla em 2019. De julho a novembro, foram 18 apresentações por 13 cidades no Brasil e no exterior, além de quatro megasshows no Allianz Parque, em São Paulo, e um megasshow no Parque Olímpico, no Rio de Janeiro, que encerrou a temporada.

“A turnê gerou uma comoção enorme entre os fãs. A gente acabou entendendo a dimensão do nosso nome, a marca que a gente tinha deixado enquanto dupla. Por mais que tenha sido um capítulo à parte, um último capítulo depois que a história já estava inteira feita, não tem como não considerar como um dos momentos mais importantes da carreira”, avalia a cantora, que também relembra de outras apresentações grandiosas ao longo dos episódios.

“Acho que foram os momentos de maior sucesso e projeção porque levaram a nossa voz, a nossa música, o nosso trabalho para mais gente. Foram aqueles anos de programa na Globo, Rock in Rio, Maracanã, show na praia de João Pessoa para 1,2 milhão de pessoas, a venda de 3 milhões de cópia de um único álbum. Acho que de 1998 a 2003 foram os anos mais importantes da nossa carreira”, completa.

Publicidade