Evento voltado aos fanzines é tema de minidocumentário

Produção da Last Mosh mostra desenvolvimento de projeto que envolve a ocupação do espaço urbano com intervenções artísticas locais


Foto: Divulgação
A bela Biblioteca Municipal de Americana passou a receber o evento há cinco anos

A produtora Last Mosh disponibilizou em seus canais em redes sociais um minidocumentário que mostra a história e os conceitos do AmericanaZINE, projeto que envolve a ocupação dos espaços urbanos da cidade com intervenções artísticas. O material envolve entrevistas com os idealizadores, imagens da última edição e tomadas aéreas de Americana.

Organizado por Miguel Rodrigues e Jeff Souza, o AmericanaZINE realizou em 2018 a sua 5ª edição, que entre novidades trouxe a criação de uma galeria virtual que podia ser acessada por meio de QR Codes que foram distribuídos por diversos pontos da cidade. Exposição de zines, artes visuais, zines e shows de bandas foram outras intervenções realizadas. “Há seis anos conheci o Miguel quando ele fez uma entrevista com a Hurry Up para o zine dele. A partir daí foi meio natural esses movimentos de ‘cultura marginal’ caminharem juntos. Ter uma banda autoral underground é uma maneira de se expressar bem paralela à de se fazer um zine, principalmente se tratando da cultura do ‘faça você mesmo’. São movimentos que sempre foram vinculados”, conta Claudio Cestare Jr., criador da Last Mosh, diretor do minidocumentário e baterista da banda Hurry Up.

Para fazer o material audiovisual rimar com o conceito de ocupação de espaços ociosos com conteúdo artístico e crítico, ele lançou mão de imagens com um drone entre entrevistas e cenas do evento. “Uma maneira de se contextualizar bem a cidade foi com as imagens aéreas de Americana, já que todos somos daqui e estamos sempre passando nessas avenidas. Aí também fiz da biblioteca [um dos locais de realização do evento]. Muita gente passa por ali todo dia, mas nem todo mundo percebe o tanto de informação de pode se encontrar lá dentro”, ressalta.

Ele também optou por uma trilha mais contemplativa e imagens em slow motion para contribuir com o sentimento de reflexão, um dos intuitos do projeto. Nas entrevistas, os criadores da AmericanaZINE explicam desde conceitos básicos dos materiais que produzem à necessidade de se entender a relação entre cidade, o indivíduo e o coletivo.

“O zine é uma voz marginal da cidade de forma escrita. É uma galera que está falando através de uma mídia impressa, mas não uma mídia impressa convencional. Uma mídia impressa bancada por mim mesmo, escrita da forma que eu sei escrever, visualmente legal e ao mesmo tempo simples, que pode ser feita de diversas formas”, aponta Jeff Souza, em um dos trechos do curta.

‘FAÇA VOCÊ MESMO’. Claudio começou com a Last Mosh após comprar uma câmera, em 2013, para produzir videoclipes de sua banda, e a atividade se tornou sua profissão. Hoje, além de produzir materiais visuais, tem um canal com entrevistas. “Acabei entrevistando uns caras que jamais achei que chegaria perto”, conta.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora