‘Era Vargas’ e sua influência em SB é tema de palestra

Em evento gratuito, arquiteto vai usar notícias da época para mostrar como industrialização mudou o cenário local


A Câmara de Americana recebe nesta quinta-feira, a partir das 19h, uma palestra que vai abordar aspectos históricos envolvendo a mudança na paisagem urbana de Santa Bárbara d’Oeste na primeira Era Vargas (1930-1945), por meio da análise de notícias da imprensa local da época.

Foto: Fundação Romi - Centro de Documentação
O Cine Santa Rosa, inaugurado em 1939, na região central. é exemplo desse período

Denominado “Políticas urbanas, ideário da cidade moderna e imprensa”, o evento será ministrado pelo arquiteto André Frota Contreras Faraco e é fruto de uma pesquisa de iniciação científica de sua autoria, intitulada “Patrimônio Cultural em Santa Bárbara d’Oeste: origens, usos e problemas”, realizada em 2016.

“O projeto nacional desenvolvimentista implantado nesse período estimulou que a elite agrária utilizasse o capital excedente da produção agroexportadora para iniciar um processo de industrialização no país. Para isso, as cidades brasileiras tiveram que ser adaptadas e organizadas conforme o modelo da cidade de consumo, para produção e circulação de mercadorias e circulação de pessoas”, explica André.

Nesse período, segundo ele, Santa Bárbara d’Oeste passou por um ciclo de transformações políticas, econômicas e sociais, recebendo uma série de obras de infraestrutura urbana, como melhoramentos viários, ligação viária intermunicipal, saneamento básico, paisagismo e equipamentos públicos, que organizaram a cidade com a finalidade de torná-la apta aos interesses industriais e comerciais. Também foi impulsionada a vocação industrial da cidade, que se diversificou e foi modernizada.

“A imprensa se tornou um importante instrumento de difusão dos ideais do regime e das políticas urbanas promovidas no período, a fim de garantir um consentimento da sociedade civil”, explica o pesquisador.

Patrimônios. Durante a palestra, são destacados patrimônios da cidade que foram produzidos como símbolos do progresso e mudaram a paisagem urbana, como a antiga “Ponte do Funil” (1937), a primeira caixa d’água da cidade, inaugurada em 1941 e ativa até hoje, o antigo Paço Municipal (onde até recentemente funcionou a Biblioteca Municipal Maria Aparecida de Almeida Nogueira), a Escola Estadual Professor Inocêncio Maia, a Praça Central (que sofreu uma profunda transformação no período) e o antigo Cine Santa Rosa, inaugurado em 1939, que faz parte da memória afetiva de uma parcela significativa dos barbarenses.

Acontece. A palestra “Políticas urbanas, ideário da cidade moderna e imprensa” vai ocorrer a partir das 19h desta quinta-feira, na Câmara de Americana, que fica na Praça Divino Salvador, 5, Jardim Girassol. A entrada é gratuita, mas é preciso solicitar inscrição pelo email ciclopalestrashistoricas@gmail.com.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora