20 de julho de 2024 Atualizado 18:17

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

NOVO CENTRO CULTURAL

Obras de restauro do barracão do Complexo Usina Santa Bárbara podem durar até dois anos

O projeto de requalificação e reforma do espaço resultará em um novo centro cultural, anunciado nesta quinta (4)

Por Stela Pires

05 de julho de 2024, às 08h23

Restauração do Barracão 8 do Complexo Usina Santa Bárbara resultará em um novo centro cultural – Foto: Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste/Divulgação

A restauração do Barracão 8 do Complexo Usina Santa Bárbara pode levar até dois anos para ser concluída. Essa é a expectativa da Secretaria de Cultura e Turismo para as obras do projeto de requalificação e reforma do espaço, que resultará em um novo centro cultural, anunciado nesta quinta-feira (4).

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O processo de restauração faz parte do projeto “Usina de Memórias – ressignificando o passado”, de Santa Bárbara d’Oeste, que terá investimento de R$ 2,3 milhões. A obra tem início em setembro.

“Se tratando de uma obra de restauro, tudo é muito minucioso, a gente tem que ter muito cuidado com aquilo que está sendo proposto”, comentou Evandro Felix, secretário da pasta, sobre o tempo que a obra levará.

A requalificação foi aprovada pelo Codepasbo (Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Santa Bárbara d’Oeste) e prevê o restauro da fachada, reforma do telhado, requalificação de caixilhos e esquadrias e reestruturação do piso. 

Além disso, reparo do sistema elétrico e hidrossanitário, e instalação de sistema de ar condicionado e ventilação.

O centro cultural tomará o espaço, que tem 631,64 metros quadrados de área total. Será implantada área social com a disposição de um café, camarins e vestiários, além de salas de administração.

Para o salão multiuso há a proposta da implantação de um espaço de atividades de dança, música e teatro, possibilitando áreas de convivência para o uso diário, assim como as apresentações ou espetáculos ocasionais. 

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região!

Através da reabertura dos vãos originais, o salão terá luz natural. Também constam no projeto móveis modulares que poderão ser utilizados para estruturas de palco ou para teatro de arena e, ainda, em ambientes separados no salão ou juntos às paredes.

O projeto também prevê a imersão do público por meio de oficinas fotográficas que resultarão em uma exposição permanente no complexo.

A verba para a restauração foi captada por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura Rouanet e a obra terá gestão do Instituto Restauro. A Indústrias Romi entrou como patrocinadora, enquanto o projeto tem apoio das empresas Denso do Brasil, Supermercados Pague Menos, Texfyt e TRBR.

Para o prefeito Rafael Piovezan (PL), este é mais um passo para que Santa Bárbara d’Oeste se torne a capital da cultura do Estado de São Paulo. 

“É um case de sucesso em relação a isso. Tem números mostrando o quanto nós conseguimos aumentar o comércio de diferentes maneiras quando a gente tem um evento aqui na nossa cidade”, disse.

Uso do novo espaço

As definições de exigências para os interessados em usar o novo espaço cultural ainda não foram definidas. Atualmente o Complexo Usina Santa Bárbara está disposto para aluguel, valor que compreende o uso de todo o espaço.

“Tratando-se de uma especificidade de um centro cultural menor, localizado apartado de todo o complexo, certamente a gente vai ter que revisitar essa lei de locação”, disse Evandro Felix.

Faça parte do Club Class, um clube de vantagens exclusivo para os assinantes. Confira nossos parceiros!

Os equipamentos dispostos pela Secretaria de Cultura e Turismo podem ser utilizados por toda a sociedade civil. Os únicos espaços que precisam ser alugados são o Teatro Municipal Manoel Lira, o Anfiteatro Municipal e o Complexo Usina Santa Bárbara.

Espaço receberá visitação

O Complexo Usina Santa Bárbara receberá visitas guiadas durante o processo de requalificação do Barracão 8. Os passeios serão realizados com alunos da rede pública de ensino. 

Intitulada “Memórias em traços”, as visitas serão divididas em 10 sessões, podendo atender cerca de 300 pessoas no total. O projeto tem intuito de incitar a criatividades dos alunos e contará com a realização de um concurso cultural de desenho. 

Além disso, uma oficina fotográfica, exposição e oficina em vídeo para acompanharem todo o processo de restauro.

Publicidade