23 de junho de 2021 Atualizado 15:46

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cultura na região

Músico americanense comemora 30 anos de carreira com álbum e clipes

Guitarrista e compositor, Jaeder Menossi convida o ouvinte a uma viagem interestelar de ida e volta a Netuno em sua nova produção

Por Isabella Holouka

09 Maio 2021 às 09:06 • Última atualização 10 Maio 2021 às 08:26

Após 30 anos de carreira, Jaeder Menossi lança um disco só seu - Foto: Marcelo Rocha - O Liberal.JPG

O novo projeto do americanense Jaeder Menossi, que tem 50 anos e 30 de atuação como guitarrista e compositor, convida o ouvinte a uma viagem interestelar de ida e volta a Netuno.

Um CD físico de “Interestellar Experience” foi lançado em março pela gravadora Heavy Metal Rock, de Americana, com produção de Rodrigo Barros, no Pepperstudio, em Nova Odessa. O disco foi gravado por uma banda formada ainda por Loks Rasmussen, na bateria, Rodrigo Barros no baixo e teclados, e Jere Nery nos vocais. Além do disco, uma sequência de clipes foi preparada para o lançamento de cada uma das 12 faixas, instrumentais e com vocais, no YouTube do músico.

No canal, o público já pode conferir músicas como “Space Pirates”, “Starshade pt.2” e “Travel to Neptune”, sendo que a intenção é continuar os lançamentos mês a mês.

Ao LIBERAL, o artista comemorou a repercussão do trabalho, que segundo ele tem sido recebido com críticas positivas no meio do heavy metal e do hard rock.

“Após 30 anos de carreira, foi um presente lançar um disco só meu. Eu quis ‘atacar por conta’ nessa produção independente, que é independente no sentido de ser uma coisa que eu mesmo compus, de acordo com as minhas vivências e influências”, contou o artista que é fundador da banda Javali (Pop Javali), já participou da banda Busic, fez jams junto a músicos consagrados, integrou grupos em programas de televisão e se apresentou em diversas partes do mundo.

“Músico é muito crítico, ficamos sempre vendo algo que poderia ter sido melhor. Depois passa essa fase e começamos a ouvir de um jeito um pouco menos técnico, percebendo as qualidades do trabalho. Esse foi um presente para mim mesmo, para comemorar o aniversário [de 30 anos de carreira]”, completou.

Comparando a composição do álbum com a pintura de um quadro em branco, ele conta que a temática interestelar teria lhe ocorrido no ano passado, após uma apresentação nos Estados Unidos. A astrologia foi um tema sugerido pelo irmão de Jaeder, e a inspiração se intensificou após o músico assistir ao filme de 2019 “Ad Astra – Rumo às estrelas”, com Brad Pitt, no voo de retorno ao Brasil.

“Nosso personagem foi até Netuno e voltou. Viu lá os problemas, coisas que aconteceram durante a jornada e não estavam previstas. Tudo isso é retratado nas letras, desde a saída da Terra, a passagem pela estação espacial, e os planetas. Depois tem a volta, quando ele completa a missão, e a partir disso, no seu retorno, ele evidencia a importância de valorizar as coisas que tem e vive. E passa a viver mais intensamente a vida, valoriza mais cada detalhe”, revela Jaeder.

“Os comentários estão sendo bons e quem sabe com isso a gente não faz uma segunda expedição espacial”, finaliza.

Publicidade