27 de maio de 2022 Atualizado 16:31

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

“Comidas de nossa gente”

Livro registra receitas através de memórias afetivas de grupos culturais da RMC

Organizado por Margareth Brandini Park e publicado pela Editora Adonis, projeto tem último evento de lançamento na terça

Por Isabella Holouka

26 Setembro 2021, às 09h36

A herança repleta de sabores, aromas, memórias e afeto de dez grupos culturais presentes na RMC (Região Metropolitana de Campinas) é tema do livro “Comidas de nossa gente”, organizado por Margareth Brandini Park, ilustrado por Paulo R. Masserani e publicado pela Editora Adonis.

Produzido através de edital do Proac, do Governo do Estado de São Paulo, a obra tem distribuição gratuita nesta terça-feira (28), no terceiro e último evento de lançamento.

Terceiro e último evento de lançamento do livro acontece nesta terça-feira (28) às 11 horas, no auditório da Editora Adonis – Foto: Renan Henrique de Oliveira

Pedagoga, doutora em Educação e pesquisadora da área de memória, Margareth atuou no Centro de Memória da Unicamp e é especialista em feijoada e colecionadora de heranças, como o caderno de receitas da ‘nonna’ Amabile.

“Na literatura, uma das obras mais famosas é o livro de Marcel Proust, ‘Em busca do tempo perdido’ (1913-1927), em que ele fala das madeleines. Quando ele comia, era transportado para um outro tempo. Eu acho que essa é uma referência literária muito forte, e é isso mesmo que acontece. Esse assunto me interessa por eu conhecer uma literatura vasta mostrando a importância dessas memórias”, falou Margareth ao LIBERAL nesta semana.

A exemplo do primeiro evento da série, o segundo evento de lançamento – que ocorreu no dia 21 de setembro – reuniu representantes de quatro grupos étnicos participantes: Juan Carlos Teixeira Jimenez (espanhóis, em Artur Nogueira), Joana Weel (holandeses, em Holambra), Marilza Link Gobatto (italianos, em Vinhedo) e Masao Ishizaki (japoneses, em Valinhos). 

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O projeto traz memórias e receitas de mais seis grupos: além da cidade de Campinas, representada pelos portugueses; a publicação documenta parte da cultura gastronômica presente em Americana, através dos alemães; em Hortolândia, representada pelos afrodescendentes; em Nova Odessa, por meio dos letos; em Engenheiro Coelho, através dos belgas; e em Jaguariúna, representada pelos libaneses.

“Percebemos a importância da Região Metropolitana de Campinas, então eu separei dez cidades, incluindo cidades do Circuito das Frutas, outras do Circuito das Águas, tentando como pesquisadora colocar uma importância nessas identidades, pela sua relevância econômica e cultural”, considera a organizadora da publicação, que convidou os participantes a partir de pesquisas sobre cada cidade escolhida.

Versão digital já está disponível para download no site da editora – Foto: Renan Henrique de Oliveira

Em suas 120 páginas, o livro reúne 30 receitas – de salgados, doces, conservas ou sobremesas – e parte da história dos descendentes dos grupos étnicos participantes, com versão em vídeo. A produção audiovisual é da BigMidia Produtora, incluindo vídeos das receitas e dos depoimentos. O conteúdo pode ser acessado a partir de QR-codes. 

Fãs de literatura têm espaço reservado no LIBERAL

Entre as histórias, está a da família do médico oncologista e escritor Gilson Barreto. “Com raízes portuguesas, ele descreve sobre o bairro Guanabara, em Campinas, nos tempos dos avós e dos pais dele. Eram pequenos sítios, onde havia dificuldades sanitárias, como a de crianças que morriam do chamado ‘mal de sete dias’, que era, na verdade, o tétano, decorrente da contaminação nos partos”, conta Margareth.

“A descrição histórica daquela época ficou muito interessante no texto dele. Não se trata só falar de receita. Até você chegar na comida, há um retrato da história do entorno, ligada ao jeito de pensar do participante do projeto”, acrescenta. 

O terceiro e último evento de lançamento do livro acontece nesta terça-feira às 11 horas, no auditório da Editora Adonis, com público limitado e transmissão pelas redes sociais. O endereço é Rua José Bonifácio, número 174, bairro Chácara Machadinho I, em Americana.

O projeto contempla a distribuição gratuita e limitada do livro, que deverá ser retirado neste dia, mediante inscrição on-line. Há ainda a possibilidade de baixar a versão digital do livro, que já está disponível no site da Editora Adonis.

A última celebração de lançamento também presta uma homenagem à Eleonora Aparecida Alves de Souza Domingos, mais conhecida como Mãe Eleonora, líder religiosa de Hortolândia que faleceu em julho deste ano, aos 59 anos, vítima da Covid-19, enquanto o livro era produzido. Na obra, ela apresenta a culinária dos afrodescendentes da cidade.

Publicidade