28 de novembro de 2021 Atualizado 21:18

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cultura na região

Historiadora americanense resgata memórias de Carioba em lives no Instagram

As conversas, por iniciativa de Suzete Volpato Stock, contarão com a presença de antigos moradores ou cariobenses de coração

Por Isabella Holouka

25 fev 2021 às 09:15 • Última atualização 25 fev 2021 às 18:16

O cotidiano no bairro operário de Carioba será relembrado às sextas-feiras, às 19 horas, em lives promovidas pela pedagoga, historiadora, escritora e doutora americanense Suzete Volpato Stock.

Em seu Instagram (@suzetevolpato), ela planeja bate-papos com antigos moradores e cariobenses de coração, com o objetivo de resgatar as memórias relacionadas à comunidade, importante para a história de Americana.

O projeto intitulado “Carioba, minha Carioba” inicia nesta sexta (26) com conversa com a professora, contadora de história e cariobense Élide Crisp Alves. Segundo Suzete, outros participantes estão sendo confirmados para as próximas semanas, e o projeto continua aberto a quem desejar compartilhar suas memórias no bairro operário.

Suzete explica que os temas abordados vão depender de cada entrevistado, mas por ora a intenção é contar histórias, relatar como era a vida em Carioba e focar no cotidiano dos moradores.

“Eu fiz um doutorado sobre Carioba, a história do bairro operário, e me apaixonei, porque as histórias contadas são muito belas e saudosistas, como toda boa memória. Carioba está acabando, então o que nos resta é guardar as memórias dos antigos moradores, para que haja uma preservação”, comenta ao LIBERAL a historiadora, que não descarta a utilização dos vídeos em um projeto futuro, e nem a ampliação do foco para outras áreas da cidade.

Suzete Volpato pertence a uma família que viveu em Carioba – Foto: Ernesto Rodrigues / O Liberal

Embora o assunto seja de grande interesse dos mais antigos, que viveram ou tiveram familiares vivendo em Carioba, Suzete destaca a importância de que, cada vez mais, os mais jovens se envolvam na preservação das histórias.

“Eu sou diretora de escola, trabalho com crianças e ensino a história da cidade, da sua gente. Quando perguntamos sobre Carioba elas não conhecem. Sobre a vila operária Vila Jones, no centro da cidade, ninguém conhece. A Estação Ferroviária está passando por um restauro, poucos sabem que ali no centro foi sede de uma fazenda. O resgate de Americana, envolvimento com a história, mesmo não sendo um americanense, pois sabemos que muita gente veio de fora, é necessário”, defende ela.

“Você só preserva e mantém aquilo que você conhece. Falamos com as pessoas mais idosas por serem antigos moradores, ou terem familiares que moraram lá. Mas tem muitos jovens hoje que colocam a bandeira da memória, do meio ambiente, são pessoas muito engajadas, e vai chegar o momento de a gente conversar com eles”, completa.

Séries, filmes, games, quadrinhos: conheça o Estúdio 52.

Suzete é neta e filha de uma família que viveu em Carioba. No ano passado ela lançou pela Editora Adonis o livro infantil “O mistério do tesouro”, em que apresenta curiosidades históricas sobre locais como Carioba, a Estação Ferroviária de Americana, o Casarão do Salto Grande e o Ribeirão Quilombo. Ela também é autora de ‘Entre a Paixão e a Rejeição’ e ‘Carioba – um lugar, uma herança’.

Publicidade