10 de maio de 2021 Atualizado 13:06

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cultura na região

Grupo usa tecnologia para criar espetáculo inspirado no isolamento social

Com apresentações gratuitas pelo Zoom, coreografia reflete sobre o que limita e o que liberta as pessoas na atualidade

Por Isabella Holouka

09 abr 2021 às 07:22 • Última atualização 13 abr 2021 às 14:34

Com temporada entre os dias 9 e 18 de abril, o espetáculo de dança contemporânea “Q u a s e” discute a relação entre indivíduo e coletivo, e mostra que as circunstâncias que a princípio distanciam as pessoas podem ser superadas.

A apresentação foi concebida no período de isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), utiliza a tecnologia para discutir sobre os limites da criação em dança e desenvolve questões que permeiam a oposição entre limitação e liberdade.

Serão seis apresentações gratuitas. A estreia nesta sexta-feira (9) será às 20h, bem como a apresentação do sábado (10). No domingo (11) o espetáculo será às 16h30. A semana seguinte tem apresentações na terça-feira (13) e no sábado (17), às 20h. O encerramento será no domingo, às 16h30.

Grupo desenvolveu um espetáculo criado através das novas mídias, para ser apresentado especificamente através delas – Foto:

O espetáculo faz parte do projeto Fluxo em Redes, criado em 2018 pela artista interiorana Ayumi Hanada, pesquisadora formada em dança pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Ela estuda a improvisação, a criação colaborativa em dança e o desenvolvimento de ferramentas técnicas a partir do peso do corpo, do fluxo de movimento e do uso do chão, além do uso das tecnologias e redes sociais.

O elenco é formado por seis bailarinas e um músico, que se reuniram a partir do questionamento sobre os limites enfrentados em suas vidas e refletidos nos dias atuais, sejam limites internos ou impostos. Os integrantes do grupo são naturais de cidades do interior paulista, como Campinas, São José dos Campos, Marília, São José do Rio Pardo e Indaiatuba.

O grupo desenvolveu um espetáculo não só criado através das novas mídias, mas para ser apresentado especificamente nelas.

Ao LIBERAL, Ayumi Hanada reflete sobre a possibilidade de criar experiências novas e que podem ser vivenciadas através de plataformas que se fazem tão presentes na atualidade. “O que te faz sentir liberdade mesmo dentro da sua casa? Como criamos um respiro de liberdade dentro deste formato que está limitando a gente? Brincamos com isso, com os quadradinhos do Zoom em que vemos as pessoas hoje em dia nas plataformas digitais e nas reuniões”, disse.

A dança-instalação acontecerá na plataforma Zoom, e será dividida em duas partes. Inicialmente serão abertas sete salas simultâneas, onde cada artista vai compartilhar suas experiências pessoais através de falas, movimentos e sons. O público será direcionado para uma das salas e poderá vivenciar a experiência a partir de uma perspectiva, com a possibilidade de interagir ao vivo.

Confinados em um quadrado desenhado no chão, as bailarinas e o músico vão mostrar suas interpretações sobre o que é se sentir limitado, ou o que traz a sensação de liberdade.

No segundo momento do espetáculo, o público será direcionado para uma sala onde as individualidades apresentadas estarão reunidas. Ninguém se toca ou se aproxima, mas os quadrados agora estão entrecruzados, criando assim a ideia de conexão e coletividade.

“No espetáculo de dança comunicamos ao público através de movimentos, mas também estaremos conversando para aproximar e conectar com as pessoas. E quando buscamos essas diferentes maneiras de dialogar, também trazemos possibilidades de reconhecimento sobre algo que passamos ou pensamos, criando conexões entre as pessoas”, complementa a criadora do espetáculo.

Para evitar deslocamentos e aglomerações, a parte da coreografia feita em conjunto foi gravada, e os artistas tomaram todas as precauções e seguiram as normas de segurança.

Para ter acesso ao espetáculo nos dias de apresentações, com pelo menos 15 minutos de antecedência, o público vai encontrar o link na página oficial do projeto no Instagram (@_fluxoemredes), ou pode ir diretamente na plataforma Zoom, com o ID: 248 265 0707 e a senha: quasela.

O espetáculo “Q u a s e” tem apoio do Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura, Lei Aldir Blanc e Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, através do Edital PROAC Expresso LAB número 37/2020.

Publicidade