27 de maio de 2022 Atualizado 17:00

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

A solidão do mar

De autor barbarense, livro infantil reflete sobre a solidão

Obra produzida através da lei Aldir Blanc tem distribuição gratuita e fala de maneira poética sobre um dos sentimentos comuns na pandemia

Por Isabella Holouka

23 Junho 2021, às 07h47

Com rimas, ilustrações delicadas e aquarela azul, o livro infantil “A solidão do mar fazia meu tio-avô chorar” tem lançamento e distribuição gratuita através de um drive-thru neste sábado (26). A obra de Denis Espanhol, com ilustrações Gabriela Pyles, ambos de Santa Bárbara, se propõe a falar sobre a solidão com as crianças.

O projeto foi desenvolvido através da Lei Aldir Blanc em Santa Bárbara d’Oeste com a distribuição gratuita de 100 exemplares do livro para inscritos (através de link disponível pelo Instagram @solidaodomar). O kit também inclui materiais para a participação em uma oficina de arte-educação, cujo vídeo será disponibilizado no sábado.

Além disso, estão previstos bate-papo com psicóloga sobre o tema e contação de história. As datas de todas as atividades promovidas pelo projeto serão divulgadas antecipadamente pela página no Instagram.

Denis Hespanhol lança seu primeiro livro infantil pela Lei Aldir Blanc; distribuição será gratuita, através de drive-thru neste sábado – Foto: Ernesto Rodrigues / O Liberal

Ao LIBERAL, o Denis contou que a história de “A solidão do mar fazia meu tio-avô chorar” foi escrita há cerca de um ano e meio, antes do início da pandemia, com inspiração em uma experiência pessoal.

“Eu tinha me mudado para São Paulo para estudar, e estava me sentindo bastante sozinho, porque havia sido uma mudança drástica de tudo”, contou Denis, que uniu reflexões sobre a própria solidão à vontade de escrever um livro infantil – embora o rascunho tenha ficado guardado por um tempo.

Com o início da pandemia da Covid-19, ele diz ter percebido a importância da temática. “Muita gente pode achar que é um tema inapropriado porque, na verdade, nós acabamos subestimando muito as crianças. Mas na quarentena, na pandemia, eu senti que é um tema precioso. Foi neste momento que elas ficaram distantes do círculo social mais frequente delas, que é a escola”, comenta.

É o primeiro livro infantil de Denis, que já havia publicado contos de literatura fantástica e de terror em antologias, além de ser o dramaturgo do Espetáculo Via Crucis de Santa Bárbara e de outras peças de teatro. O trabalho foi completo com as ilustrações de Gabriela Pyles.

“É uma artista visual incrível, arte-educadora, e tem um trabalho muito lindo com aquarela. Tivemos a ideia de fazer um trabalho com aquarela azul, então o livro foi todo criado em cima das manchas de aquarela. Os desenhos em branco e preto, justamente para destacar o azul”, descreve Denis.

Publicidade