21 de janeiro de 2021 Atualizado 21:57

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Flor do Caribe

Com um coração de mãe

Rita Guedes valoriza trama tensa e dramática de Doralice em “Flor do Caribe”

Por Caroline Borges / TV Press

20 nov 2020 às 10:52

A novela é um trabalho de imersão que pode durar um ano ou até mais. Por isso mesmo, Rita Guedes acha bem difícil não ser atravessada por um personagem ao longo dos capítulos.

No ar na edição especial de “Flor do Caribe”, a atriz de 48 anos foi afetada pelos dramas e dilemas da batalhadora Doralice, uma mulher que sonhava intensamente com a maternidade.

Além do “sitcom” “Tô de Graça”, do Multishow, ela também está no elenco de “Arcanjo Renegado”, disponível no Globoplay – Foto: Divulgação

“Os personagens sempre mostram, de uma forma ou de outra, uma maneira de encarar a vida. A Doralice foi um dos personagens mais distantes da minha visão de mundo. Eu não sou mãe. Então, ela tinha desejos completamente diferentes dos meus. Precisei entender e entrar nesse universo da maternidade que ela sustentava. Ela me deu outro olhar sobre família e maternidade”, explica.

A trama de Walther Negrão voltou ao horário das seis após a paralisação dos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro, em virtude da pandemia do novo coronavírus. Apesar da retomada gradual das gravações dos folhetins, a Globo achou mais seguro reexibir a história de Doralice nos próximos meses.

Na trama, a personagem é um misto de cozinheira, copeira e governanta da casa de Dionísio Albuquerque, papel de Sérgio Mamberti. Casada com Quirino, de Aílton Graça, ela se torna mãe de Juliano, vivido por Bruno Gissoni, e do pequeno William, de Renzo Aprouch, ambos adotados. Doralice não consegue engravidar de forma natural, o que se torna um dilema dentro do enredo.

“Ela foi passando por vários obstáculos até conseguir isso. Teve de decidir entre ter a maternidade da maneira que ela sempre sonhou e abrir mão do casamento, da família que ela já tinha construído com o Quirino”, defende Rita, que se lembra da cena em que Doralice se separa do marido. “Foi uma das sequências mais difíceis. Eu e o Aílton estávamos muito emocionados. Ficamos muito conectados e entrosados durante a novela”, completa.

CENÁRIO

A história de “Flor do Caribe” é ambientada na fictícia Vila dos Ventos, localizada no Rio Grande do Norte. Rita não chegou a gravar com o elenco no estado no início dos trabalhos, mas a atriz já conhecia a região de outras viagens.

“O Rio Grande do Norte tem um cenário lindo. A novela ficou belíssima com as imagens de lá. As tomadas feitas pelo Jayme (Monjardim) são maravilhosas. Esse cenário todo traz uma sensação solar e gostosa de ser ver e acompanhar. Acho uma novela ótima para esse momento tão turbulento”, valoriza.

Enquanto aguarda os trabalhos da nova leva de episódios da série policial, Rita aproveita para rever “Flor do Caribe” livre de qualquer autocrítica. “Quando um projeto está no ar, eu me critico bastante. Acho que na reprise é mais gostoso de ver. A gente só senta no sofá e se diverte com o trabalho. Eu estou feliz de rever a Doralice, mas também a trama dos meus colegas. A história do casal principal é repleta de romance e aventura. Uma saga deliciosa”, elogia.

Publicidade