‘O Exterminador do Futuro’ volta para as telonas


Ele sempre promete que vai voltar – e cumpre. Arnold Schwarzenegger retorna à série O Exterminador do Futuro, que começou 35 anos atrás, agora com O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio, dirigido por Tim Miller (Deadpool) – e que estreia nesta quinta.

Mas, agora, o astro, que participou de quatro dos cinco longas anteriores, vem em companhia luxuosa, com James Cameron, o criador da saga, como um dos autores do argumento, e Linda Hamilton, a Sarah Connor. Os dois não participavam ativamente da franquia desde O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final (1991). “Foi bom ter a gangue junta de novo”, diz Schwarzenegger em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, em Los Angeles.

Linda Hamilton, que sempre achou que tinha dito tudo o que tinha para dizer com a sua icônica personagem, viu que estava errada e que a passagem do tempo justificava sua volta. “Deixamos o último filme com um fio de esperança, mas ela continua na sua guerra contra as máquinas, sem estar muito enamorada dos seres humanos. Quem é Sarah Connor hoje era a minha pergunta”, afirma a atriz.

Foto: Divulgação
O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio

A presença de James Cameron, seu ex-marido e pai de sua filha Josephine, também foi fundamental para garantir sua volta. “Ele tem uma visão, isso é inegável. Não fiz um terceiro filme antes porque ele não estava participando”, diz a atriz.

Em O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio, Sarah Connor aparece do nada para ajudar Grace (Mackenzie Davis), uma humana que recebeu implantes para melhorar sua visão, velocidade e força, a proteger a jovem mexicana Dani Ramos (a colombiana Natalia Reyes), que está sendo perseguida pelo novo Exterminador do Futuro (Gabriel Luna), capaz de se liquefazer e se dividir em dois.

“Nunca fiquei tão empolgada com um grupo como fiquei com Mackenzie e Natalia”, diz Linda. “Somos três mulheres completamente diferentes. Elas são extraordinárias. Ficamos muito impressionadas umas com as outras, rimos demais, temos um grupo de SMS chamado ‘Já são 6?’, porque ou trabalhávamos até seis da tarde ou até seis da manhã.”

Natalia Reyes nem tinha nascido quando O Exterminador do Futuro foi lançado, em 1984, mas ela assistiu aos dois primeiros filmes quando era criança e disse ter se apaixonado pelo universo – e por Sarah Connor. “Ver aquela mulher forte fazendo aquelas flexões de braço foi inspirador. Queria ser como ela”, conta a atriz.

Já Mackenzie Davis nunca tinha visto os dois longas até seis meses antes dos testes para Destino Sombrio. “Foi completamente aleatório, alguém me recomendou os dois filmes, disse que era importante ver porque tinha uma personagem feminina fundamental”, diz. “E, claro, quando vi, fiquei apaixonada.” Depois disso, a atriz correu atrás de um papel no longa.

Escolhida, teve um momento de pânico. “Achei que não ia conseguir fazer, que não ia ser boa. Porque é tudo muito novo para mim, parecia que era uma atriz de pequenos filmes independentes de repente selecionada para uma ópera”, conta ela, que fez Tully e o famoso episódio San Junipero, de Black Mirror.

O trio feminino vai topar com o T-800 de Arnold Schwarzenegger em algum momento – e ele está levando uma vida mais pacata. A idade também chegou para o Exterminador. “Estabelecemos lá atrás que seu esqueleto não envelhece, mas seu exterior é humano. Ele sua, tem mau hálito, e seu cabelo fica grisalho”, diz o ator. Mas claro que a relação de T-800, que agora atende pelo nome de Carl, com Sarah Connor não vai ser das mais fáceis.

Linda é só elogios a seu companheiro de cena. “Foi mais divertido do que nunca. Não mantivemos contato depois de ele virar governador. Mas fiquei tão feliz de reencontrá-lo!”, diz a atriz. Os fãs também vão ficar: as cenas entre Schwarzenegger e Linda, à la Um Estranho Casal, são das melhores coisas do filme.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora