‘Megatubarão’ potencializa cenas de ação no mar

Jason Statham e Li Bingbing estrelam filme com mais ação e até elementos cômicos ao estilo consagrado por Steven Spielberg


Já se foram 43 anos desde que Steven Spielberg apresentou ao mundo “Tubarão”, uma ode ao clima de tensão com o uso de um predador natural, referência para centenas de outros filmes lançados nas décadas seguintes. E 2018 não ficará de fora das novas roupagens ao estilo. Em “Megatubarão”, que chega hoje aos cinemas, o diretor Jon Turteltaub (“A Lenda do Tesouro Perdido” e “Última Viagem a Vegas”) potencializa as cenas de ação e insere a trama no habitat da ameaça: o mar.

Foto: Divulgação
“Megatubarão” é a estreia desta semana nos cinemas

Para reforçar o clima de atrito entre homem e animal, uma dupla conhecida em franquias de ação estrela o elenco: Jason Statham e Li Bingbing. Alívios cômicos, no entanto, dão cadência ao ritmo. No enredo, uma adaptação do livro “Meg: A Novel of Deep Terror”, lançado em 1997 por Steve Alten, um submarino de águas profundas é atacado por uma criatura gigantesca, que se pensava estar extinta. Agora, ele se encontra incapacitado no fundo da fossa mais profunda do Oceano Pacífico e com a tripulação presa dentro dele.

Com o tempo se esgotando, o mergulhador especializado em resgates em águas profundas Jonas Taylor (Jason Statham) é recrutado por um visionário oceanógrafo chinês (Winston Chao), contra a vontade de sua filha Suyin (Li Bingbing), para salvar a tripulação do tubarão pré-histórico com mais de 20 metros de comprimento, conhecido como Megalodon. As filmagens de “Megatubarão” foram realizadas em locações na China e Nova Zelândia.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!