Filme nacional ‘Besouro’ é exibido no Ponto MIS

Produção que mostra a história de capoeirista celebra o Dia da Consciência Negra


Envolto em lendas e mitos, Manuel Henrique Pereira, conhecido popularmente por seu apelido Besouro Mangangá, foi um exímio capoeirista brasileiro das décadas de 1920 e 30. Baseado em sua história em defesa da comunidade negra, foi lançado em 2009 “Besouro”, filme dirigido por João Daniel Tikhomiroff (“Corações Sujos”, “Entre Abelhas”).

Em referência ao Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, o MAC (Museu de Arte Contemporânea) de Americana, em parceria com o MIS (Museu da Imagem e do Som do Estado de São Paulo), exibe o longa nesta segunda-feira, às 19h30.

Foto: Divulgação
História de capoeirista abre Semana da Consciência Negra

O longa conta a história de Manuel, que nasceu em 1897 em Santo Amaro da Purificação, na Bahia. Filho dos ex-escravos João Grosso e Maria Aifa, começou na capoeira ainda criança, orientado pelo Mestre Alípio.

Devido às suas habilidades é apelidado de Besouro, que segundo suas características físicas, não deveria voar. Ao crescer, Besouro recebe a função de defender seu povo, combatendo a opressão e o preconceito existentes.

Apesar de apresentar a história de Manuel ao grande público, o filme não se trata de uma biografia e traz elementos ficcionais e fantásticos à história do capoeirista, tratando-o como um “super-herói” brasileiro. No elenco, estão nomes como Chris Vianna, Adriana Alves e Irandhir Santos (“O Som ao Redor”).

“Besouro” foi o vencedor de diversos prêmios da competição Grande Prêmio do Cinema
Brasileiro, como melhor maquiagem, melhor direção de arte e melhores efeitos especiais, além de ter recebido indicações nas categorias melhor figurino, melhor som e melhor edição.

ACONTECE: O filme “Besouro” será exibido nesta segunda-feira, a partir das 19h30. A entrada é gratuita. O MAC fica no CCL (Centro de Cultura e Lazer), na Avenida Brasil, 1293, Jardim São Paulo. Informações pelo telefone 3408-4800.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora