Murilo Benício volta com fôlego renovado – O Liberal

Murilo Benício volta com fôlego renovado

De volta aos folhetins, Murilo Benício exalta erros e acertos do pragmático Raul de “Amor de Mãe”


Com mais de 25 anos de tevê e com muitos protagonistas no currículo, Murilo Benício chegou em um ponto da carreira em que tem autonomia o suficiente para recusar convites sem medo de represálias. Distante das novelas desde 2014, era nítido que o ator não estava com cabeça para produções de longa duração.

Porém, o convite para viver o complexo Raul de “Amor de Mãe” fez Benício voltar a se empolgar com os folhetins. “Já estava com saudade de fazer novela e o convite surgiu na hora certa. Raul é um sujeito que acaba de terminar um casamento e está tentando se encontrar. Ele é cheio de erros e acertos e essa é a maior graça dele”, garante o ator.

Foto: Divulgação / TV Globo
Benício teve seu primeiro contato com a tevê por meio de um papel pequeno em “Fera Ferida”, de 1993

Natural de Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, Benício teve seu primeiro contato com a tevê por meio de um papel pequeno em “Fera Ferida”, de 1993. A estreia chamou a atenção da direção da Globo e outros personagens foram surgindo, sempre em um crescente.

Até que, por fim, o ator se tornou galã de novelas como “Meu Bem Querer”, “O Clone” e “Chocolate com Pimenta”, entre outras. “Fui muito feliz fazendo mocinhos, mas nenhum ator vive só disso”, analisa. Mesmo com tantos papéis de destaque, a carreira do ator até hoje é marcada de forma muito profunda pelo sensível Tufão de “Avenida Brasil”, sucesso de 2012.

A volta da trama no “Vale a Pena Ver de Novo” intensificou o assédio do público e as lembranças dos bastidores da trama. “Não tem jeito. É impressionante o carinho que o público tem por esse papel. Eu nunca vou deixar de ser o Tufão”, assume.

“Amor de Mãe” é sua volta às novelas cinco anos depois de “Geração Brasil”. Ficar longe de produções de longa duração foi uma decisão sua?

Murilo Benício: Não planejei de fato, mas acabou acontecendo. Novela toma muito tempo de vida e alguns projetos não conseguem esperar. Como me doei para os folhetins por muito anos, a emissora entendeu que eu precisava resolver algumas pendências artísticas, como a minha estreia na direção de cinema. Era um desejo antigo, mas eu estava sempre ocupado e não conseguia focar.

Dirigir os longas “O Beijo no Asfalto” e “Pérola” mudou sua forma de atuar?

Benício: Fiquei ainda mais crítico e pensando no “set” como um todo. Sempre fui disciplinado no estúdio e sei como um profissional ciente de que precisa estar inteiro em cena faz grande diferença no resultado final. Acho que voltei valorizando ainda mais a nossa função. Há tempos que eu não estava tão empolgado em fazer uma novela!

Bateu saudades?

Benício: Sim. Fiz duas minisséries e uma série, mas não é a mesma coisa. Quando o trabalho começa a engrenar, já é hora de ir pra casa (risos). As novelas me deram tudo o que eu tenho, foi minha formação e, mesmo que produções mais curtas e o mercado de “streaming” estejam bombando, os folhetins ainda são o carro chefe da tevê brasileira.

O que o encantou em “Amor de Mãe”?

Benício: É uma novela que não faz qualquer esforço para soar naturalista. A história é tão bem montada, os diálogos são tão ricos que chega a ser impressionante a felicidade do elenco nos bastidores. Fora que mesmo sendo fiel aos clichês folhetinescos, existe ousadia no conteúdo e no formato. O fato de não ter vilanias soltas e um núcleo cômico diz muito sobre o trabalho da Manuela (Dias, autora).

Pé no freio

Murilo Benício foi um dos nomes mais atuantes da Globo entre os anos 1990 e 2010. Trabalhou com inúmeros diretores e autores da casa em sucessos como “Irmãos Coragem”, “Por Amor”, “O Clone”, “Chocolate Com Pimenta” e “Avenida Brasil”.

Nos últimos anos, entretanto, recusou protagonistas em tramas como “A Regra do Jogo” e preferiu fazer séries curtas como “Amores Roubados” e “Nada Será Como Antes”. “Amor fazer televisão. Mas, por muito tempo, adiei projetos pessoais porque estava sempre gravando ou escalado”, explica.

Nas ruas, Murilo diz que a repercussão de voltar aos folhetins é grande. E é exatamente isso que o faz ter a noção do quanto novelas são importantes para a carreira de qualquer ator brasileiro. “Foi onde ganhei a visibilidade e experiência para fazer qualquer coisa na minha vida”, valoriza.

Instantâneas

# Murilo Benício é fã de Charlie Chaplin desde criança. A escolha pela profissão de ator foi influenciada pelos filmes e personagens clássicos do criador inglês.

# Em 2000, Murilo ensaiou desenvolver uma carreira internacional com o longa “Woman on Top”, onde contracenou com a atriz Penélope Cruz.

# Às vésperas do início das gravações de “A Regra do Jogo”, de 2015, o ator se desligou do elenco alegando incompatibilidade de agendas. Ele foi substituído por Alexandre Nero.

# Murilo é conhecido por namorar as atrizes com quem trabalha. Na lista, Alessandra Negrini, Giovanna Antonelli, Carolina Ferraz, Guilhermina Guinle e Débora Falabella.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora