Heloísa Jorge realiza desejos profissionais em ‘Sob Pressão’

Atriz conta que sempre almejou trabalhar sob direção de Andrucha Waddington e interpretar um texto de Jorge Furtado


Foto: divulgação
A temática, que aborda o dia a dia caótico de um hospital público, atraiu a atriz ao aceitar o papel

A curiosidade é o que move Heloísa Jorge. Justamente por isso, a atriz ficou tão animada com a oportunidade de integrar o elenco de “Sob Pressão”, que teve seu último episódio da temporada exibido na terça-feira passada. Afinal, em um único projeto, ela teria acesso a vários “objetos de desejo” profissionais. A começar pelo fato de trabalhar sob a direção de Andrucha Waddington e interpretar um texto de Jorge Furtado, algo que sempre almejou para sua carreira.

Heloísa também era admiradora das atuações de Julio Andrade e Marjorie Estiano, protagonistas da série com quem teve a chance de contracenar na pele da enfermeira Jaqueline. Outro aspecto que a atraiu foi a temática, que aborda o dia a dia caótico de um hospital público. “O cinema, em especial o nacional, tem uma linguagem que me fascina. Fazer a série foi a oportunidade de estar mais próxima dessa linguagem que eu amo, embora tenha experimentado pouco”, acrescenta.

Na série, Heloísa dá vida a uma enfermeira que, assim como todos os outros profissionais do hospital, sofre com a precariedade do local. Em determinado momento, entre uma cirurgia e outra, a personagem se envolve com Evandro, de Julio Andrade, quando ele já está se relacionando com Carolina, de Marjorie Estiano. “Jaqueline é uma enfermeira que trabalha com pouquíssimos recursos em um hospital público sucateado, mas que é extremamente comprometida com o trabalho dela”, ressalta.

Uma vez aprovada para a série, Heloísa começou a se inteirar do contexto em que sua personagem está inserida. Assistiu a entrevistas de enfermeiras, técnicas de enfermagens, circulantes e instrumentadores com o intuito de entender as classificações de saúde usadas por quem não é médico.

Além disso, foi visitar o Hospital Municipal Miguel Couto, no Rio de Janeiro, acompanhada do restante do elenco. “Ficamos lá para ver a chegada de ambulâncias, conhecer as alas do hospital, entender a dinâmica de funcionamento de um hospital público e assistir a cirurgias”, enumera.

Um hospital real também serviu de locação para quase todas as cenas de “Sob Pressão”. Foi no Hospital Nossa Senhora das Dores, que pertence à Santa Casa de Misericórdia, em Cascadura, Zona Norte do Rio de Janeiro, que Heloísa passou a maior parte do tempo em que interpretou Jaqueline. A experiência, na opinião da atriz, foi fundamental para agregar realismo à série. “O próprio hospital nos deu muito material para a construção de cada cena. A atmosfera de um hospital já estava instalada e nós tivemos de lidar com aquilo quase que diariamente. Estar naquele ambiente não foi nada fácil”, recorda.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!