Éramos Seis: através dos tempos

Pelo visto, “Éramos Seis”, romance escrito por Maria José Dupré em 1943, continua provocando interesse


Revisitar os clássicos é uma prática comum na teledramaturgia. Até mesmo quando a história em questão já foi contada várias vezes e produzida por emissoras diferentes. Pelo visto, “Éramos Seis”, romance escrito por Maria José Dupré em 1943, continua provocando interesse. Tanto que a Globo elegeu a trama como a sua próxima novela das seis, substituindo “Órfãos da Terra”.

Foto: Divulgação
Éramos Seis

A história, aliás, ganhou uma versão em filme na Argentina dois anos após o lançamento do livro. Mais tarde, surgiu como novela na Record, em 1958. Depois, em 1967 e 1977, a extinta Tupi exibiu a sua versão folhetinesca do romance e o SBT, em 1994.

Mais de duas décadas depois do último “remake”, a obra é recontada pelas mãos de Angela Chaves, sob a direção de Carlos Araújo. O “remake” é dividido em três fases: entre as décadas de 1920, 1930 e, por fim, 1940. Para trazer veracidade à rotina desta família paulistana, o início das gravações aconteceu em São Paulo. É por lá que se passa a grande parte da trama.

Mas outras cidades do estado, como Campinas e Santos, também ambientam algumas cenas em uma estação de trem e na praia, respectivamente. Prevista para estrear em outubro, “Éramos Seis” conta com Gloria Pires e Antonio Calloni, Susana Vieira, Ricardo Pereira, Eduardo Sterblitch, Walderez de Barros e Ellen Rocche no elenco.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora