Cantora celebra aniversário e resultados de seu trio

Cantora é a líder do Bianca Gismonti Trio, que integra ao lado do marido, o baterista Julio Falavigna, e o baixista Antonio Porto


Bianca Gismonti cresceu em meio a vida artística. Seu pai é Egberto Gismonti, renomado pianista, violonista e compositor, e sua mãe é a atriz Rejane Medeiros. Aos nove, ela iniciou os estudos de piano e teoria musical, e aos 15 já participava das turnês do pai.[\img]Aos 18, cursou bacharelado em Piano pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e, antes de completar 20 anos, já marcava presença nos palcos da capital carioca. Hoje ela colhe os frutos desse legado sendo a “líder” do Bianca Gismonti Trio, que integra ao lado do marido, o baterista Julio Falavigna, e o baixista Antonio Porto. Esse ano, os três lançaram “Primeiro Céu”, que dá continuidade ao elogiado disco “Sonhos de Nascimento”, de 2013.

Ao contrário da possível pressão do público por ser herdeira de Gismonti, a musicista afirma que só recebe carinho e acolhimento dos admiradores das pessoas.

“Comecei tocando com meu pai, mas meu primeiro trabalho foi com o duo de pianos Gisbranco, que tenho até hoje. Então sinto que muita gente já me conhece desse trabalho, mas também vejo e acho muito bonito esse reconhecimento. Acho muito interessante esse público que continua seguindo a família”.

Ao vivo

Seu novo trabalho é resultado da experiência de quase dois anos de shows realizado pela cantora com o trio. “Ele tem uma sonoridade bem característica do trio. A gravação foi toda feita ao vivo, inclusive com os convidados. Então há uma naturalidade, traz a musicalidade de todos. Tem as minhas composições, mas tem uma característica mais jazzística, por causa inclusive da musicalidade dos meninos”, observa Bianca.

A partir do encontro com Falavigna, em 2009, ela passou a explorar seu caminho também como compositora. Após oito anos de carreira com o Gisbranco, projeto que acumula mais de uma década de carreira, lançado com a amiga e atriz Leandra Leal e com a pianista Claudia Castelo Branco, surgiu “Sonhos de Nascimento”. No ano passado, a formação trio se consolidou, seguindo a linha moderna, e com viagens pela Europa, Ásia, e na América Latina.

O título “Primeiro Céu” vem da faixa “O Primeiro Céu de Marina”, que ela compôs para a sobrinha de seu marido, quando ela fez um ano de idade. “Como eu estava celebrando com o trio esse primeiro um ano e meio, dois anos, tocando juntos, e também por ser o primeiro CD com o nome do trio, decidi intitular como se fosse a celebração do nosso aniversário”, lembra.

A relação com a família não só inspira as composições, como também está presente nos palcos.

“O Julio participa do trabalho desde que tenho as primeiras ideias de composição. A gente cria muito junto, por isso não estamos só no palco, e sim junto em tudo, desde a produção. É maravilhoso viajar e estar no palco com ele, porque temos muita intimidade. O Toninho também era amigo do Julio há mais de 25 anos, então é uma sensação bem confortável”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora