Parada Poética une literatura e rap de Rashid

Rapper, que está em turnê com disco que aborda a crise nacional, participa de evento amanhã, em Nova Odessa


Uma das grandes referência da nova geração do rap nacional, Rashid estará em Nova Odessa nesta segunda-feira, às 19h, para apresentar seu livro “Ideias Que Rimam Mais que Palavras Vol. 1”. Ele é convidado da Parada Poética, liderada por Renan Inquérito, com quem mantém amizade.

Foto: Divulgação
Estreando no mundo literário, Rashid disseca suas letras em obra

Em turnê com o disco “Crise”, ele falou ao LIBERAL sobre o processo de revisitação de composições suas ao qual se propôs em seu mergulho no mundo literário e à importância de se colocar em debate a atual turbulência política e humana que o País atravessa.

No livro, que terá trechos declamados e explicados na Parada, Rashid disseca as letras da primeira fase de sua carreira, e não esconde que o processo despertou nostalgia.

“Tem uma energia em volta daquelas músicas ali. São músicas que vão até um determinado período. O livro vai até 2014. De lá pra cá, ele deixa uma abertura para um volume 2 que vai vir em algum momento do futuro”, diz. “Aquelas músicas são um retrato muito cru da época que eu estava vivendo, quando eu estava fazendo meus primeiros trabalhos e tudo que eu vinha vivendo até ali, mais ou menos com meus 22 anos, quando comecei a lançar minhas músicas frequentemente”, afirma.

O rapper ressalta que, de lá para cá, “muita coisa mudou” e consegue constatar que passou por um processo de amadurecimento. “Era uma visão bem juvenil de várias coisas. Era moleque tentando fazer as coisas acontecerem. Aquela fome de mudança, mas de uma forma bonita, porém um pouco ingênua, até, sem saber muito pra onde ir. Só querendo ir. E hoje a gente já fez tanta coisa acontecer, já viu tanta coisa dando certo, dando errado”, conta o rapper.

Com a imersão na literatura, ele passa a integrar novos meios, como a Bienal, onde esteve presente no início do mês. Ele diz que um de seus objetivos é o incentivo da leitura entre jovens.

“Acho que esse livro serviu de porta de entrada para vários adolescentes que não tinham costume de ler, mas ‘ah, livro do cara que eu gosto, vou me esforçar e vou ler’”, acrescenta o rapper, que diz “ler de tudo”, de livros de poesia e ficção a estudos acadêmicos, passando, claro, pela literatura alternativa e da periferia, por meio de autores como Sérgio Vaz, Ferréz e o próprio Inquérito.

CRISE. Trazendo períodos conturbados em suas letras no novo álbum, Rashid aponta que o rap tem o papel de ser um “jornal da vida”, colocando em discussão as coisas que acontecem. “[É preciso] mostrar pra muita gente que está alheia a todas essas coisas. Tanto na situação do País quanto na situação humana, essa crise humana que a gente tem passado. Altos índices de adolescentes e idosos com ansiedade, depressão e esse tipo de coisas. Acho que o mais importante é trazer a conversa e deixar o público pensar por si mesmo”, analisa.

Acontece. A Parada Poética com Rashid ocorre na segunda-feira, a partir das 19h, na Estação Ferroviária de Nova Odessa. A entrada é gratuita.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!