Grupo de K-Pop ganha destaque em eventos

Com integrantes de Americana e Santa Bárbara, ICON-E foi campeão de circuito Avalon, uma referência no estilo


Um grupo com dançarinas de K-Pop de Americana e Santa Bárbara d’Oeste vem ganhando destaque em competições pelo Estado. Formado em 2014, o ICON-E foi campeão do Circuito K-Pop Cover de 2018 da Avalon, no dia 2 de dezembro, após ficarem em primeiro lugar nos circuitos locais de Campinas, Piracicaba e Americana. Além disso, neste ano, participaram da Virada Cultural de Santa Bárbara d’Oeste e do Sarau do Grupo Manada de Teatro.

Foto: Divulgação
Segundo integrantes, a união e amizade estão entre os segredo do sucesso das jovens dançarinas do grupo da região

O grupo é de Santa Bárbara d’Oeste, mas metade das nossas integrantes são de Americana. “Ele surgiu em 2014, quando eu e minha prima (Isabela Christina, que por conta de compromissos pessoais decidiu sair do grupo recentemente) decidimos montar um grupo para podermos dançar as coreografias desse gênero que já se espalhava com o boom da música ‘Gangnam Style’, do PSY. Foi por causa dessa música que comecei a me interessar pelo K-Pop e suas girlgroups e boygroups”, conta a líder, Brunna Oliveira, que aos 18 anos já é professora e vai iniciar o segundo ano de graduação em Dança pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

Além dela, a formação conta com Beatriz Nunes Aranda (Bea), Mariana Romeira (Mary), Natália Ribeiro Pires (Nath), Letícia Adrielli Luz (Delly) e Letícia Marchesin (Loy). A faixa etária varia entre 17 e 22 anos. Os nomes em parênteses são seus “stage names”, denominação comum no segmento.

“Passamos por algumas formações até chegarmos na atual, e posso dizer que o Kpop me proporcionou mais uma família. As integrantes do ICON-E são muito unidas”, celebra Brunna. Ela conta que a formação ocorreu a partir de inscrições abertas em uma página no Facebook.

No segundo ano de criação, ministraram uma oficina de K-Pop na Estação Cultural de Santa Bárbara d’Oeste, por meio do qual mais duas integrantes foram agregadas. As aulas na Estação Cultural ocorreram de junho de 2015 à julho de 2017.

Hoje, Brunna dá aulas particulares de K-Pop na Cia de Dança JK, em Santa Bárbara d’Oeste, mesmo espaço onde a ICON-E ensaia. “A dança do K-Pop é uma mistura de diversos gêneros de dança, como hip-hop, jazz, jazz dance, stiletto… E varia de grupo para grupo. Nós aprendemos as coreografias que os grupos idols fazem e adaptamos para nossa quantidade de integrantes”, explica.

Elas participaram de sete competições em circuitos da Avalon ano. A líder estima que por eles passaram por volta de 60 grupos. “Tem várias competições, eles somam as pontuações e os três primeiros vão pra final”, acrescenta Brunna.

Novidade e coletividade atraem muitos seguidores

Para a líder da ICON-E, Brunna Oliveira, o sucesso do K-Pop está ligado à novidade sonora e visual que ele traz e sua prática coletiva.

Foto: Divulgação
O ritmo oriundo da Coréia do Sul ganhou adeptos em todo o mundo

“Apesar da clara influência no pop internacional que já conhecemos, o K-Pop tem essa novidade que é convidativa aos jovens em suas cores e sons. Além de que a ideia de serem grupos (em sua maioria) dá vontade de juntar os amigos e dançar, de saber os nomes de cada integrante e conhecer mais. Aí é onde a gente acaba se apaixonando e não consegue mais sair”, afirma.

O perfil agregador do segmento também se evidencia pelo fato de ser uma das atrações dos eventos de cultura jovem da Avalon, que também reúne fãs de comic books, filmes e videogames, por exemplo. “O ICON-E, quase em todos os que a gente foi teve o sucesso de conseguir o primeiro lugar”, comemora a líder do grupo.

Também há intercâmbio com cidades vizinhas. Neste ano participaram do 3° Festival de K-Pop, realizado no CCL (Centro de Cultural e Lazer) de Americana. Um dos organizadores do evento americanense se formou na oficina do grupo barbarense na Estação Cultural.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora