Anselmo Lima: dançando além da fronteira

Após superar grave acidente e deixar cadeira de rodas, dançarino de Americana leva oito coreografias de seu grupo para festival na Argentina


A história de Anselmo Lima com as danças urbanas vem do final dos anos 1990. Foi em 1997 que começou a arriscar as primeiras coreografias do chamado “passinho” (ou flashback). Na onda da black music, conheceu os b-boys de Americana e região. Montou seu próprio grupo em 2003, o Anjos da Noite, e passou a participar de festas e competições.

Mas, em 2013, veio o susto. De moto, o dançarino foi atingido pelo veículo de um motorista que atravessou o sinal de “pare”. Quebrou o braço, perna e costela e chegou a ficar em uma cadeira de rodas por um tempo. A recuperação durou cerca de um ano e veio acompanhada de novas conquistas. “Voltei em 2014 e resolvi criar uma cia de dança mais forte, para representar minha cidade, começou a dar certo e abrir muitas portas no mundo das danças urbanas e da cultura hip hop”, comemora.

Foto: Haly Produções / Divulgação
Essa vai ser a segunda ida do grupo de street dance Authentic Hip Hop para o Festival de dança argentino

O grupo é a Authentic Hip Hop, de Americana, que vai participar do Festival Danzas del Mercosur, que começa nesta quarta e vai até sábado, na cidade de Puerto Iguazú, na Argentina. Com 25 anos de história, o evento já recebeu 20 mil artistas da Argentina, Paraguai, Uruguai e Brasil.

“No ano retrasado, ganhamos um campeonato chamado Becos Evolution, em Barra Bonita, e conseguimos a vaga para a Argentina. A gente conseguiu vaga também em 2014 e 2015, para Los Angeles, e não fomos por causa de apoio, não tínhamos dinheiro”, conta Anselmo.

No festival da Argentina vão pela segunda vez. “Ano passado a gente foi e levamos quatro trabalhos e cinco premiações. Levamos uma premiação a mais, para um aluno meu que ganhou um prêmio como melhor bailarino”, explica.

Neste ano, o Authentic Hip Hop vai levar 12 dançarinos, com oito trabalhos, todos no estilo hip hop. O festival reúne diversos estilos, do balé clássico de repertório a danças folclóricas, contemporâneas e jazz. O dia das apresentações das danças urbanas será sábado.

“Estou levando solos, duos, grupos juvenis, criança. Eles já ganharam vários campeonatos aqui na região. O campeonato é bem forte. A gente vai tentar levar mais prêmios lá”, acrescenta. Os focos da companhia são o hip hop raiz, breaking, popping e locking.

Histórico

Anselmo também já trabalhou em outro projetos culturais da região e do Estado, como do Ponto de Cultura Arte na Praça, Fazendo Arte Americana e Projeto Oficineiro da Prefeitura de Limeira. É diretor e fundador do American Dance Festival (encontro nacional de danças), S.B.O Dance Festival, Sarau Americana Hip Hop e Oficina H2 em Limeira, entre outros.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora