27 de maio de 2022 Atualizado 20:45

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Pelas Páginas da Literatura

‘Uma separação’, por Katie Kitamura

Uma mulher vai até a Grécia para tentar descobrir o que aconteceu com o ex-marido, que está desaparecido; leia a resenha no blog Pelas Páginas da Literatura

Por Marina Zanaki

28 Janeiro 2022, às 08h16 • Última atualização 28 Janeiro 2022, às 08h17

“Todo romance precisa de um pano de fundo e de uma plateia, mesmo – ou talvez principalmente – os genuínos, romance não é algo que se possa esperar que um casal crie do nada sozinho, você e outra pessoa, vocês dois juntos, não só uma, mas inúmeras vezes; o amor em geral é fortalecido pelo contexto, alimentado pelo olhar dos outros”.

Katie Kitamura em “Uma Separação”
Está procurando uma indicação de livro? Confira a resenha de “Uma Separação” – Foto: Divulgação

A ficção nos faz pensar que o fim dos relacionamentos, sejam eles amorosos ou não, acontece de forma conclusiva. É como se fosse um ciclo que se fecha, uma página virada. Mas na vida real, esse movimento é bem mais complexo. As separações muitas vezes são confusas, marcadas por recaídas, mal entendidos e frustrações. Colocar um ponto final em uma história não é tão simples.

Nesse sentido, o livro “Uma separação”, da americana Katie Kitamura, lançado no ano passado pela Companhia das Letras, acerta ao retratar as oscilações emocionais provocadas por um rompimento. O leitor acompanha a história de uma mulher (não nomeada) que está recém-separada do marido, chamado Christopher. Contudo, o fim do relacionamento ainda não foi revelado a ninguém.

Christopher desaparece durante uma viagem à Grécia. Sua mãe Isabella, que não sabe da separação, cobra da ex-esposa que vá até o país tentar encontrá-lo. Passivamente, a protagonista assume o papel da esposa de um homem desaparecido, e é durante essa busca que o livro se desenrola.

A trama empresta elementos de um suspense policial, mas o foco está no desenvolvimento da personagem e em sua relação com o ex-marido. A protagonista revisita o relacionamento que terminou e revê a imagem que tem de Christopher. Apesar de não parecer arrependida da separação em nenhum momento, vê sua própria posição se tornar mais confusa conforme a situação do desaparecimento progride.

Ela parece entender que sua ligação com Christopher ainda não está totalmente rompida, e ao final do livro, terminamos sem saber se isso vai acontecer. Mais ou menos como acontece na vida real, quando os laços perduram além da duração do próprio relacionamento.

Focado na vida interior da personagem, o livro tem poucos acontecimentos. Por outro lado, acompanhamos os pensamentos mais íntimos da protagonista, suas ideias e projeções – que muitas vezes se provam verdadeiras, mas em outras parecem apenas um esforço da imaginação para entender o que acontece ao seu redor. Nesses casos, servem muito mais como um retrato da personagem do que do mundo em que ela está inserida.

“Uma separação” é um livro sensível e inusitado de diversas formas. Recomendo fortemente a obra e, posteriormente, a leitura de uma entrevista que a escritora concedeu à Revista Gama.

Marina Zanaki

Repórter do LIBERAL, a jornalista Marina Zanaki é aficionada pela literatura e discutirá, neste blog, temas relacionados ao universo literário.