15 de julho de 2024 Atualizado 23:10

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cotidiano & Existência

Um chamado à solidariedade

Por Gisela Breno

21 de maio de 2024, às 14h21 • Última atualização em 21 de maio de 2024, às 14h28

O Rio Grande do Sul está devastado por uma das maiores tragédias climáticas de sua história.

Chuvas torrenciais, inundações severas, enchentes devastadoras, afetaram centenas de cidades, resultando em um cenário de desespero e destruição.

Casas foram levadas pelas águas, estradas ficaram intransitáveis, e milhares de pessoas se viram desabrigadas da noite para o dia. Os danos materiais são imensos, mas é no sofrimento humano, que se encontra a verdadeira dimensão dessa catástrofe. Imaginar o desespero de quem perdeu, além dos entes queridos, suas memórias, seus sustentos é um exercício doloroso, mas necessário para entendermos a urgência e a profundidade da situação.

Cada história pessoal, cada lágrima derramada, representa um clamor silencioso por ajuda e um apelo urgente à nossa empatia e solidariedade.

Essa tragédia não é apenas um evento local, mas uma chamada à responsabilidade coletiva.

Aqueles, que não foram diretamente afetados, têm a responsabilidade moral de se solidarizar e contribuir de todas as maneiras possíveis. Não se trata apenas de doações materiais. As doações de alimentos, roupas, itens de higiene e recursos financeiros são fundamentais para a reconstrução das vidas devastadas, mas trata-se também de oferecer apoio emocional e psicológico às famílias enlutadas e desabrigadas, para que possam encontrar forças e esperança para recomeçar.

Urge, igualmente, pressionar o poder público para que medidas preventivas sejam tomadas, evitando que tragédias como estas se repitam.

O Rio Grande do Sul, conhecido por sua beleza natural e pela força de seu povo, precisa de ajuda para se reerguer.

Mais do que nunca, devemos fortalecer nossos laços comunitários e exercer a compaixão em sua forma mais pura ,convocando-nos a refletir sobre nossa humanidade e a agir com urgência para ajudar nossos irmãos e irmãs em necessidade. Que esta dolorosa experiência nos inspire a construir um mundo mais solidário, onde a dor de um seja a dor de todos, e onde a esperança renasça, mesmo nas circunstâncias mais sombrias.

Gisela Breno

Professora, Gisela Breno é graduada em Biologia na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e fez mestrado em Educação no Unisal (Centro Universitário Salesiano de São Paulo). A professora lecionou por pelo menos 30 anos.