08 de março de 2021 Atualizado 21:53

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Painel Político

Thiago Brochi assume liderança de governo e PSDB reage: ‘ação individual’

Alinhamento do vereador com o prefeito Chico Sardelli (PV) não é aprovado pela cúpula tucana, que reforça posição de independência

Por André Rossi

29 jan 2021 às 09:26

No dia em que o vereador Thiago Brochi (PSDB) assumiu oficialmente o posto de líder do governo Chico Sardelli (PV) na Câmara de Americana, o diretório municipal do PSDB reagiu e fez questão de classificar o ato como uma “ação individual”.  

Nesta quinta-feira (28), o prefeito da cidade foi até a sessão camarária para saldar os vereadores da nova legislatura e formalizar a indicação de Brochi como seu líder de governo. No início da noite, o presidente do diretório local tucano, Roger Willians, se posicionou.

Thiago Brochi assumiu oficialmente o posto de líder do governo – Foto: Ernesto Rodrigues / O Liberal

“O PSDB de Americana manifestou à sua bancada posição de independência na Câmara Municipal. A assunção do vereador Thiago Brochi ao cargo de Líder de Governo trata-se de uma ação individual e não partidária”, traz a nota do partido.

Ao LIBERAL, Roger explicou que o objetivo era deixar claro que o partido é independente e que o fato de Brochi assumir como líder de governo foi uma decisão do parlamentar, e não uma indicação do PSDB.

“Pois já fui questionado até se estávamos indo pro governo. Apenas quis estabelecer um ponto”, ressaltou Roger.

Fato é de que a relação entre Brochi e o PSDB não é das melhores desde a eleição. Um dos principais pontos de divergência foi o uso do fundo partidário na campanha tucana. Brochi abriu mão do recurso por não concordar com a aplicação.

Posteriormente, a aproximação de Brochi e Chico estremeceu ainda mais a relação com o PSDB. Como publicado pelo LIBERAL, o vereador participou da festa do prefeito e se queixou publicamente dos colegas.

Questionado sobre a nota do seu partido, Brochi não se estendeu no tema. “A minha campanha foi independente, e o meu mandato também será”, resumiu.

Os outros dois tucanos da bancada foram questionadas pela reportagem sobre a situação. Vagner Malheiros (PSDB) disse que não ia se manifestar.

Já Lucas Leoncine (PSDB), que está em seu primeiro mandato, evitou tomar lados. “Tecnicamente, acho o Thiago Brochi muito bom para o cargo, mas não vou me envolver nessas questões entre o Brochi e o partido. A minha relação com o partido é muito boa”, comentou.

Redação

Seção abastecida pelos jornalistas do LIBERAL com informações e bastidores da política de Americana, Santa Bárbara e região.