26 de novembro de 2021 Atualizado 10:14

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Smart Tech

O que te move a ser um empreendedor?

Não existe uma receita infalível, mas certamente ter um olhar intencional para a carreira é imprescindível para o sucesso na jornada empreendedora

Por Henrique Costa

21 out 2021 às 07:28 • Última atualização 04 nov 2021 às 09:23

Começo esse artigo, trazendo essa reflexão para ajudar aos empreendedores atuais e aos futuros empreendedores sobre a compreensão do quanto empreender é fundamental para o crescimento e desenvolvimento econômico, político e socioambiental do ambiente em que atuam.

Remeto o pensamento aos primeiros empreendedores que surgiram e o porquê de eles “nascerem”. Será que havia uma necessidade, uma aspiração, um propósito, uma oportunidade?

O que libertou as primeiras habilidades empreendedoras no ser humano?

Já é sabido que o empreendedorismo é um processo humano profundo, vital e abrangente com possibilidades importantes para que, essa figura empreendedora, em termos de independência, criatividade, expressão pessoal e profissional, produza os meios para atingir o nível de diversidade, inovação e tomada de decisões independentes e necessárias para a sobrevivência e/ou desenvolvimento de uma sociedade ou da própria comunidade em que vive.

Segundo Peter Drucker, “o empreendedor sempre está buscando a mudança, reage a ela e a explora como sendo uma oportunidade”. Ele cria algo, novo e diferente, ele muda ou transforma valores, não restringindo suas ações às instituições exclusivamente para fins lucrativos. Aliás, faço um parêntese aqui, o Terceiro Setor, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 2016), emprega mais de 2 milhões de pessoas no Brasil, em mais de 230 mil organizações sem fins lucrativos; o que reforça que a figura empreendedora pode nascer de um propósito que diz respeito ao que o indivíduo tem como valores, ao que acredita e precisa, concomitante, a oportunidade de negócio que pretende empreender.

Entendo que existem variações no perfil da figura empreendedora que podem estar relacionadas, originalmente, a forma estratégica como esta discerne o seu próprio negócio e se manifesta quanto aos riscos e oportunidades de mercado. Essas variações afetam o seu sucesso produtivo do empreendimento e, certamente, este seja um dos pontos mais importantes para que seja possível lidar com os desafios do empreendedorismo.

Não existe uma receita infalível, mas certamente ter um olhar intencional para a carreira é imprescindível para o sucesso na jornada empreendedora.

Separei alguns pontos que podem auxiliar àqueles que desejam construir uma jornada profissional de sucesso como empreendedor com foco em resultados:

Planejamento – analise onde você está e aonde quer chegar. Depois de analisar, verifique se o lugar onde você está se adequa com o seu perfil. Não é sobre escolher emprego, mas é sobre propósito (seu e da empresa).

Autoconhecimento – você se conhece de fato? Quais são seus talentos, aptidões e, principalmente, suas fraquezas? Saber das suas limitações é importante para identificar pontos de melhorias.

Metas – estabeleça suas metas, elas irão orientar seus passos rumo aos objetivos planejados. Mas, não as tenha apenas na mente, coloque-as no papel.

Estratégias – com as metas definidas agora é hora de pensar como alcançá-las (a curto, médio e longo prazo). Investir no marketing pessoal, novos cursos, ter atenção nas tendências ou apostar no networking são algumas sugestões. Mas, pense de acordo com suas metas e o que vem planejando. Tenha foco e resiliência!

Execução – aqui entra o processo, que é um conjunto de ações e atividades interrelacionadas, que são executadas para alcançar o resultado ou objetivo predefinido nas etapas anteriores. Cada processo é caracterizado por suas entradas, as ferramentas que devem ser utilizadas, as técnicas da equipe que podem ser aplicadas e as saídas resultantes do processo.

Se entendermos que as estratégias concebidas pelos empreendedores estão muito baseadas em sua intuição, julgamento pessoal, experiência, sabedoria e valores, associadas ao conhecimento técnico e específico do negócio, então, a estratégia empreendedora pode seguir dois caminhos: nascer levando em consideração os princípios éticos e responsabilidade da empresa perante a sociedade; ou nascer moralmente vazia, orientada apenas para o lucro em si.

Se, antes de empreender, a figura empreendedora se perguntou: “No que eu sou bom?” e “O que o mercado precisa e o que eu posso atender?” – e empreendeu ao responder essas questões, então, certamente, existe uma missão maior no seu empreendimento para além dos lucros financeiros. O resultado positivo financeiro será consequência!

Henrique Costa

Formado em Harvard, palestrante e autor de mais de dez livros, é CEO da Accell Solutions e conselheiro do InverGroup, holding de tecnologia e investimentos

Henrique Costa e Eryvelton Baldin

Assinado por Henrique Costa e Eyvelton Baldin, conteúdo sobre tecnologia, inovação e empreendedorismo