30 de novembro de 2020 Atualizado 22:43

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Editorial

Sem solução

Por Redação

18 set 2020 às 15:33

Pela quinta vez, a Prefeitura de Americana deverá firmar um contrato emergencial com a Sancetur, para que a empresa continue a operar o serviço de transporte coletivo no município. O atual contrato vence no próximo sábado, mas o prefeito Omar Najar, em entrevista ao LIBERAL, já indicou que o governo não terá alternativa a não ser apelar à medida.

A Sancetur foi contratada pela Prefeitura de Americana em dezembro de 2018, depois que o governo retirou do transporte municipal a VCA e a VPT, sob a alegação de má prestação do serviço.

A administração americanense, então, firmou o primeiro contrato emergencial com a Sancetur, com duração de até 180 dias, como diz a lei, e sob a justificativa de não se interromper uma demanda que é crucial para a cidade.

Na ocasião, o governo já dizia trabalhar na elaboração de um novo edital para o transporte municipal. Em maio de 2019, chegou, inclusive, a contratar uma empresa para ajudar na elaboração do documento, mas o quinto contrato emergencial evidencia a dificuldade do governo em proceder da maneira mais recomendada para a operação de um serviço do tipo.

A prefeitura levou um ano após o primeiro contrato com a Sancetur para publicar o novo edital do transporte e, quando o fez, foi barrada pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado). Agora, enfrenta na Justiça ações protelatórias da VCA, que tenta atrapalhar o certame, sem ter condições de participar.

Não se despreza a complexidade de uma licitação do tipo, mas o período decorrido desde então e atos benevolentes da prefeitura em prol da empresa, como a cessão de garagem em terreno do prefeito e manobras para garantir o aumento da passagem, são capazes de fazer qualquer cidadão duvidar do empenho em se dar um rumo legal – e não improvisado – ao transporte público. Talvez fique para o próximo governo dar conta da situação.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.