23 de junho de 2021 Atualizado 23:29

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Editorial

Sairemos melhores?

Por Redação

09 Maio 2021 às 08:17

Um levantamento do LIBERAL em dados da Covid-19 em Americana mostra como a doença se espalha pelos bairros do município, atingindo com maior gravidade áreas densamente populosas e de classes baixa e média, como a Cidade Jardim e o Zanaga. A análise detalhada do perfil das vítimas mostra como a crise sanitária evoluiu nos últimos meses num ritmo desenfreado.

Na última semana, Americana chegou à marca de 500 mortos pela Covid. O número se firma em um momento de recuo das infecções, mas também simboliza o avanço exponencial que a pandemia galgou neste início de 2021, já com o processo de imunização em andamento. A mera comparação numérica deixa claro que a crise chegou a níveis preocupantes e não pode ser seguida de uma piora, haja vista ainda o saturamento dos sistemas de saúde.

Para se ter noção, de março a dezembro de 2020 – um período de nove meses –, Americana registrou 221 óbitos causados pelo coronavírus. Após um final de ano de enorme flexibilização e um carnaval no qual ainda se duvidava de uma nova onda, a pandemia mostrou sua pior face até então. Na cidade, foram 286 mortes de janeiro a abril.

Ainda assim, os negacionistas continuam a destilar e praticar as baboseiras tragicômicas que surgem do Palácio do Planalto, de menosprezar o uso de máscara e a promoção de aglomerações. Na quinta-feira, a Guarda Municipal de Santa Bárbara encerrou uma festa com cerca de 300 pessoas em uma casa noturna da zona leste. Nas redes sociais, houve quem defendesse a farra, exemplos da ignorância.

Enquanto isso, em Brasília, a CPI da Covid acumula evidências da péssima gestão do governo federal, incapaz de conter o vírus, seja por medidas sanitárias ou ao providenciar vacinas, e mostra de onde surgem as ideias que infectam a cabeça de milhares de brasileiros a acharem que esta crise é fruto de uma conspiração midiática ou da ideologia política. Que sairemos desta crise, há de se crer que sim. Não se pode dizer o mesmo, porém, se dela sairemos melhores.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.