27 de fevereiro de 2021 Atualizado 20:39

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Editorial

Restrições mais duras

Por Redação

23 jan 2021 às 09:46

A decisão do governo estadual de aumentar as restrições por conta da pandemia está longe de ser mero capricho ou demasiado zelo. O avanço das infecções pelo coronavírus ainda é um problema gravíssimo não apenas em São Paulo, mas em todo o Brasil.

Nesta sexta-feira, o governador João Doria anunciou uma regressão à fase vermelha em todo o Estado, mas de maneira diferente do que havia ocorrido no início da crise sanitária. Desta vez, as restrições totais, que fecham atividades não essenciais, vão valer para o período da noite e da madrugada (das 20h às 6h) e para os finais de semana.

A medida é mais uma tentativa de conter o comportamento da população, que tem ignorado a prevenção especialmente aos finais de semana, quando ocorrem as festas e os encontros nos quais o risco de contaminação se potencializa.

As restrições, por ora, se aplicam pontualmente, mas não seria de causar espanto se aumentassem caso perdure a impossibilidade de se mudar a maneira como a vida tem sido normalmente conduzida por muitos durante um novo pico da pandemia.

Tida como um instrumento importante para reduzir a circulação do vírus, o isolamento social parece ter poucos adeptos. O longo tempo desde o início da quarentena – quase um ano – torna o recolhimento difícil.

Mas é absurdo que muitos, mesmo tendo noção da gravidade do vírus e sentindo cada vez mais as contaminações em pessoas próximas – todo mundo já conhece alguém que pegou ou morreu pela Covid-19 – passaram a resistir ao uso de máscara, item básico e inegociável para a proteção não apenas de quem a utiliza, e sim de toda uma comunidade.

Outra vez, então, autoridades de saúde dão um novo recado à população de que o cenário desta pandemia está perigoso e com riscos de piorar, algo que a vacina não terá tempo suficiente para conter, quiçá os hospitais. Continuaremos a ignorar as recomendações? Espera-se que não.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.