06 de maio de 2021 Atualizado 23:59

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Editorial

Recuo sob pressão

Por Redação

02 fev 2021 às 09:07

Em nova coletiva nesta segunda-feira, o governador João Doria sinalizou que o Estado deverá afrouxar as restrições da quarentena contra a pandemia. A medida é colocada em pauta pelo governo após pressão de comerciantes e prefeituras nos últimos dias. Na região, por exemplo, o prefeito Chico Sardelli (PV) e outros chefes de governos municipais se reuniram para pedir ao governo do Estado que aliviasse as proibições para o setor de bares e restaurantes. Associações e grupos do segmento também faziam apelos a autoridades.

Atualmente, a região de Campinas se encontra na fase laranja do chamado Plano São Paulo, de retomada das atividades econômicas em meio à pandemia. Serviços que não são essenciais, como bares, restaurantes e comércios em geral, podem atender o público entre 6 e 20 horas entre segunda e sexta-feira. Fora deste horário e aos sábados e domingos, eles estão proibidos de abrir para atendimentos no local.

Anunciada há pouco mais de uma semana, a medida valeria até o dia 7 de fevereiro, o que, entretanto, deve ser revisto pelo governo estadual. Ontem, o governador João Doria deu declaração no sentido de que, nesta quarta, o Estado poderá ter um novo anúncio de flexibilização da quarentena, que atenda aos pedidos, especialmente, de bares e restaurantes.

Doria disse condicionar a mudança a um cenário de queda nos principais indicadores da pandemia, como internações, mas, mesmo assim, fez apelo para que os comerciantes, empresários e a população em geral tenham a preocupação em não fomentar comportamentos de risco, como as aglomerações.

Ainda que a pressão seja intensa sobre as restrições, é preciso que o governo e o comitê criado para conter o vírus tenham um embasamento calcado na ciência para promover flexibilizações e evitar que, em benefício econômico de alguns setores, mais vidas sejam perdidas para a pandemia.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.