18 de abril de 2021 Atualizado 22:26

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Editorial

Reações políticas

Por Redação

08 dez 2020 às 08:01

O anúncio do governador João Doria (PSDB) sobre o cronograma para a vacinação contra o coronavírus em São Paulo despertou reações nesta segunda-feira. O tucano trouxe a informação de que o Estado irá vacinar a população paulista a partir do dia 25 de janeiro. Os primeiros a serem imunizados devem ser os profissionais de saúde, pessoas com mais de 60 anos e grupos vulneráveis, categoria que inclui indígenas e quilombolas.

Os novos detalhes do plano paulista são trazidos a público ainda com a vacina CoronaVac com eficácia em análise. O imunizante negociado pelo governo de São Paulo, que é da China, mas será produzido pelo Instituto Butantan, depende de aprovação pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Os trâmites previstos pelo governo Doria, entretanto, já permitiriam dar início à vacinação no final de janeiro.

A atuação da gestão tucana frente à pandemia contrasta claramente com o que tem feito – ou não tem feito – o governo Bolsonaro. Na semana passada, quando o Ministério da Saúde previu o início da vacinação apenas para março, Doria tratou de discursar, acertadamente, em favor da necessidade de prazos mais curtos, dada à mortalidade diária pela doença no País.
Criticada por supostamente fazer politicagem em cima da condução do combate à pandemia, certo é que, ao menos, a gestão estadual tem sido mais planejada, coesa e, por que não, transparente no que tem feito, com poucos tropeços.

A insistência de Doria em antagonizar com o governo Bolsonaro, porém, tem exigido que a gestão federal reaja. Resistente à vacina “chinesa”, o presidente anunciou ontem, após o governo estadual, que ofertará vacina a toda a população caso haja certificação da Anvisa. Nada mais do que um dever, mas que, se não desafiado, parece ser negligenciado. Se a briga política move Bolsonaro a se mexer contra o coronavírus, que assim seja.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.