07 de julho de 2022 Atualizado 12:39

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

A Cidade É Nossa

Queria ver, não viu. Mas sentiu

Por J.C. Nascimento

18 de maio de 2022, às 07h31

Caxamba, agora “Tomézinho”, queria mesmo ver se ia fazer frio como foi anunciado. Parece que não viu, mas sentiu!
· · ·
O cantor Milton Nascimento, depois de seis décadas, decidiu parar de se apresentar nos palcos. A última vai ser em novembro.
· · ·
“Cães podem ser treinados para sorrir”. Esta foi matéria do Canal 18, da Record, no domingo.
· · ·
De imediato dona Lucídia comentou que vai precisar treinar de novo para sorrir, pois atualmente não consegue mais porque está muito debilitada.
· · ·
Do Leitor: “Passou da hora de tomar essa atitude. Porém, entendo que esse anúncio, pela mídia, veio na contramão de direção e acabou avisando´ os meninos entregadores para não saírem assaltando hoje”. · · · “Assim que esse cerco policial aos bandidos acabar, eles começam tudo de novo. Essas ações deveriam ser sigilosas. O anúncio na mídia acabouespantando os passarinhos´, infelizmente”. (Quirino Nascimento)
· · ·
Por dois anos estivemos convivendo com a pandemia. As festas, almoços, jantares e etc. não eram mais realizados.
· · ·
Mas neste ano essas festas estão voltando. Pelo que Rivachin observou, os mais procurados são almoços com “Porco no Rolete”.
· · ·
Para Rivachin, o árbitro barbarense Raphael Claus é um dos mais equilibrados ultimamente e está garantido para representar a CBF, na Copa do Mundo do Catar.
· · ·
Nossas ruas: Vital Brasil (Girassol/Frezzarim). Médico e cientista brasileiro. Considerado benfeitor da humanidade devido às inúmeras epidemias que combateu, tais como, febre amarela, cólera e peste bubônica. Ele foi criador do soro antiofídico (PM)
· · ·
Ficamos por aqui. Antes, Xandão gostou da atuação de Walter, ex-Timão, fazendo defesas espetaculares no jogo contra o São Paulo, vencido pelo Tricolor por 2 a 1, sendo que o gol de empate foi de pênalti duvidoso.

J.C. Nascimento

Coluna assinada pelo jornalista e corretor J.C. Nascimento. Há mais de 40 anos contando causos de Americana por meio de personagens já conhecidos do público.