21 de abril de 2021 Atualizado 00:43

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Editorial

Planos alterados

Por Redação

12 dez 2020 às 10:13

Depois de criticar a decisão da Prefeitura de Americana, o Estado resolveu recuar no que se refere ao horário de funcionamento do comércio nas cidades paulistas. Nesta sexta-feira, o governo anunciou que o período em que as lojas podem ficar abertas, reduzido na semana passada por conta do retorno à fase amarela do Plano São Paulo, voltou a aumentar de 10 para 12 horas.

O assunto foi alvo de embate entre a administração local e a gestão do Estado. Americana foi uma das poucas cidades que se recusaram a cumprir com a redução do horário. A prefeitura alegava, baseada no entendimento do comitê de combate ao coronavírus no município, que o período maior poderia evitar a concentração de pessoas.

Mas, na quarta-feira, uma decisão da Justiça, a pedido do Ministério Público, mandou que o governo municipal determinasse o cumprimento do horário reduzido na cidade. O juiz do caso entendeu que não havia respaldo científico para que as duas horas a menos fossem ignoradas e considerou ainda que a prefeitura não tem autonomia para descumprir uma disposição estadual.

Se a questão do comércio foi superada, resta saber como se dará o comportamento dos bares e restaurantes, cujo horário de funcionamento foi reduzido para as 20 horas e 22 horas, respectivamente, com limitações, inclusive, de venda de bebidas alcoólicas. É bem verdade que a vida noturna é atrativa para a população mais jovem, que tem liderado as infecções pela Covid-19 neste novo avanço da doença.

Aos finais de semana, principalmente, há uma dificuldade de os órgãos públicos procederem com a fiscalização. Por isso, espera-se que os proprietários, antes mesmo dos clientes, tenham consciência em relação à questão, e cumpram as determinações para que tentemos frear o avanço do vírus. Do contrário, outras restrições com certeza virão.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.